Nevou no deserto do Saara, o mais quente do mundo

Ain Sefra é uma cidade na Argélia conhecida como a porta de entrada para o deserto do Saara, onde as temperaturas atingem habitualmente os 35 graus durante o verão e os -10 durante o inverno.

Deserto do Saara Argélia
 
O Shifter precisa de dinheiro para sobreviver.
Se achas importante o que fazemos, contribui aqui.

Os habitantes de Aïn Séfra, no norte da Algéria, foram novamente surpreendidos pela queda de neve no deserto do Saara no passado domingo. A neve começou a cair durante a noite, cobrindo o característico tom alaranjado da paisagem desértica com um cobertor branco que se estendeu sobre as dunas. Segundo o The Independent a neve terá mesmo atingido cerca de 40 centímetros de altura em algumas regiões da cidade. O fenómeno durou pouco tempo e durante o dia a neve foi gradual e naturalmente derretendo.

Aïn Séfra é uma conhecida porta de entrada para o deserto do Saara, onde as temperaturas atingem habitualmente os 35 graus Celsius durante o verão.  Apesar de Aïn Séfra estar situada a 1081 é extremamente raro nevar, sendo que em condições normais, em janeiro, a temperatura ronda entre os 6 e os 12 graus. No passado domingo, contudo, a situação foi diferente. Registou-se uma temperatura de 1ºC e as pessoas puderam voltar a experienciar a queda de neve em vez dos habituais ventos de areia, e até deslizar e brincar com ela, segundo reporta a agência Reuters.

Este fenómeno é explicada por uma forte corrente fria vinda do Mar Mediterrâneo. Apesar da surpresa generalizada esta é a terceira vez que um nevão ocorre na cidade de Aïn Séfra nos últimos 37 anos, naquele que é o deserto mais quente do mundo. O primeiro foi presenciado em 1979, nevando durante meia hora, já o segundo deu-se, recentemente, em 2016 logo após o Natal.

O deserto do Saara é o terceiro maior deserto do mundo com cerca de 9 milhões de metros quadrados. Localizado sobretudo no norte de África é conhecido como o deserto mais quente do mundo, onde as temperaturas podem atingir valores superiores a 50 graus.

O aumento da frequência de fenómenos como este – repare-se que bastou cerca de 1 ano para que se repetisse desde a última vez – é mais um sinal da mudança dos padrões climatéricos a nível global. Em Aïn Séfra a temperatura minima pode chegar aos -10ºC mas a precipitação de neve é um fenómeno extremamente raro.

O Shifter precisa de cerca de 1600 euros em contribuições mensais recorrentes para assegurar o salário aos seus 2 editores. O teu apoio é fundamental!