Mike Flanagan é o realizador escolhido para a sequela de The Shining

A sequela vai mesmo acontecer e já se sabe quem será o sucessor de Stanley Kubrick.

The Shinning
Danny Torrance em The Shining (1980)
 
O Shifter precisa de dinheiro para sobreviver.
Se achas importante o que fazemos, contribui aqui.

Depois de diversos rumores, eis a desejada confirmação. Já está escolhido o sucessor de Stanley Kubrick para a realização da sequela de The Shining. Segundo o Deadline, Mike Flanagan, o realizador de Absentia (2011), Oculus: O Espelho do Demónio (2013) e Ouija: Origem do Mal (2016) é o escolhido para levar avante o filme Doctor Sleep, a aguardada sequela de The Shining, um clássico do terror realizado por Stanley Kubrick em 1980, e protagonizado por Jack Nicholson, Shelley Duvall e Danny Lloyd. Ainda hoje é recordado como um dos filmes de terror mais aclamados e revisto vezes e vezes sem conta pelos mais saudosistas. A informação foi posteriormente confirmada pelo próprio através do Twitter.

Mike Flanagan já tinha revelado imensa vontade em trabalhar neste projecto. No final do ano passado, em entrevista à Arrow in the Head, realçou alguns dos filmes que mais gostaria de realizar – “Aqueles que eu mais gostaria de fazer são o Doutor Sleep e o Lisey’s Story. Em ambos os casos, é porque me identifico com os protagonistas. A História de Lisey é um trabalho deslumbrante, uma bela exploração do casamento. E quem não gostaria de se aventurar de volta ao mundo de Danny Torrence?”

A trama da história incidirá sobre o livro publicado em 2013 por Stephen King, e terá como protagonista Danny Torrance – sim, esse mesmo, o miúdo de The Shining. A criança é agora um adulto de 40 anos e irá a enfrentar as mesmas psicoses, ataques de fúria e problemas alcoólicos que atormentaram o seu pai, bem como o trauma consequente das experiências no Hotel Overlook, durante a sua infância. Na mesa está também a hipótese de Flanagan reescrever o guião, adaptado originalmente por Akiva Goldsman.

O estúdio responsável pela produção do filme será a Warner Bros. Trevor Macy será o produtor do projecto, com Goldsman e Jon Berg nas funções de produtores executivos. Até ao momento ainda não existem detalhes sobre o elenco ou a data de estreia.

O Shifter precisa de cerca de 1600 euros em contribuições mensais recorrentes para assegurar o salário aos seus 2 editores. O teu apoio é fundamental!