H&M alvo de críticas por publicidade com conotação racista

É o caso do momento nas redes sociais e já levou The Weeknd a dizer que não voltar a trabalhar com a marca.

 

A frase da polémica é “o macaco mais fixe da selva”, expressão que, noutro contexto, seria só mais uma impressão engraçada numa camisola para crianças. O problema é que a frase podia ler-se numa camisola vestida por um modelo infantil negro, numa fotografia exposta no catálogo online da H&M.

Nas redes sociais, foram várias as partilhas da imagem com comentários de desaprovação relativamente à escolha de publicidade da marca, considerada racista. Não só pela camisola em questão, mas também pelo contraste com a camisola vestida pelo modelo branco, com a expressão “especialista em sobrevivência” estampada. Alguns defendem que “não é possível que os directores das marcas possam ser tão negligentes e pouco conscientes” no ano em que nos encontramos; outros perguntam onde é que a H&M estava com a cabeça.

A polémica foto foi, entretanto, retirada de todos outros canais pela H&M e, numa nota enviada pela equipa de relações públicas às redacções, a empresa sueca pede “as mais sinceras desculpas por ter ofendido pessoas com esta imagem”. A controvérsia começou na loja online da H&M no Reino Unido; a empresa garantiu ainda que “o produto não será vendido nos Estados Unidos”.

A resposta da H&M não acalmou os ânimos nas redes sociais. O caso, note-se, tomou proporções maiores que as dos nossos feeds sociais graças a um dos principais indignados. The Weeknd foi uma das primeiras celebridades a pronunciar-se sobre a polémica no Twitter. O cantor diz-se “envergonhado” e “profundamente ofendido” com a imagem, acrescentando que não voltará a trabalhar com a marca, depois de, no ano passado, ter lançado com ela uma linha de roupa.

Gostaste do que leste? Quanto vale conteúdo como este?

Trabalhamos todos os dias para te trazer artigos, ensaios e opiniões, rigorosos, informativos e aprofundados; se gostas do que fazemos, apoia-nos com o teu contributo.