Avanços importantíssimos na paleontologia portuguesa com descoberta de nova jazida fóssil

Pedro Correia e a sua equipa descobriram uma nova espécie de planta com 303 milhões de anos.

Muitos desconhecem o trabalho desenvolvido por paleontólogos e a sua importância para a compreensão da história do nosso planeta. Pedro Correia, geólogo e paleontólogo, doutorado pela Faculdade de Ciências da Universidade do Porto, apresentou no final do ano passado um estudo que contribuiu, não só para o aumento do património paleontológico português, mas também para a compreensão da relação entre Portugal e outros continentes tão distantes como a América do Norte, que remontam à idade do super-continente, Pangeia.

O estudo foi desenvolvido pelo investigador português em parceria com o checo Zbynĕk Šimůnek. A equipa, que já havia desenvolvido várias investigações em outros locais da Bacia do Douro, local rico em jazidas fósseis, levou a cabo este estudo numa nova localidade fossilífera em Montes da Costa (Ermesinde, no concelho de Valongo), que, segundo Pedro Correia, trouxe ao de cima “excepcionais aspectos geológicos, estratigráficos, sedimentológicos e paleontológicos”.

A caracterização geológica de Montes da Costa.

O principal objectivo deste tipo de investigação é “estudar fósseis de animais e plantas passados, por forma a reconstruir os seus ecossistemas e habitats naturais, bem como deduzir o tipo de clima e mudanças climatéricas que existiram na época”, explicou o investigador ao Shifter.

Este estudo foi desenvolvido ao longo de seis anos, desde os trabalhos de escavação à publicação do artigo numa revista científica e permitiu não só um melhor entendimento da diversidade da flora e fauna do Carbonífero superior de Portugal, com as respectivas condições ecológicas, ambientais e climatéricas, e ainda a descrição de uma nova espécie de feto arborescente (Acitheca murphyi sp. nov.).  No artigo agora publicado, foi ainda salientada a identificação de um evento súbito de inundação catastrófica, que constituiu um registo geológico extremamente raro.

A nova espécie de feto arborescente: Acitheca murphyi sp. nov.

Com os olhos postos no futuro, Pedro Correia espera encabeçar outras investigações nos Montes da Costa e noutras localidades da Bacia do Douro, como São Pedro da Cova. O artigo publicado por esta equipa de investigadores pode ser consultado na conceituada revista sobre geologia Geological Journal.

O Shifter é gratuito e sempre será. Mas, se gostas do que fazemos, podes dar aqui o teu contributo.