Adereços de cartão são a última inovação no mundo dos videojogos

O Nintendo Labo desafia a criatividade dos jogadores com vários adereços que complementam a consola Switch.

2017 foi um ano de ouro para a empresa Nintendo, com o lançamento da sua nova consola Switch. A baixa capacidade de memória interna (32 GB) e o facto de ter sido lançada com apenas The Legend of Zelda: Breath of the Wild como grande chamariz não preconizavam um futuro de sucesso; todavia, pelo seu conceito inovador, o fado foi outro.

A Switch vendeu mais de 10 milhões de exemplares, em apenas 10 meses, algo que a antecessora Wii U demorou 10 anos a atingir. Viu dois dos seus lançamentos, Super Mario Odissey e The Legend Of Zelda: Breath of the Wild, serem candidatos a jogo do ano, pelos Game Awards de 2017, tendo o segundo conquistado o prémio. Lançou vários jogos aclamados pela crítica e pela comunidade, como Xenoblade Chronicles 2 e Splatoon 2, e ainda foi alvo de adaptações de jogos muito bem sucedidos em outras plataformas.

Como se tamanho sucesso, em tão curto espaço de tempo, não fosse suficiente, eis que a Nintendo quebra as barreiras da originalidade e apresenta o Nintendo Labo.

Sim, viste bem! O Nintendo Labo é nada mais nada menos do que um conjunto de adereços modulares em cartão canelado para a consola Switch. O que salta logo à vista é que público-alvo deste produto são claramente os mais novos. Antes de se apreciar o jogo é preciso construir os adereços onde posteriormente se anexam os comandos e a consola, formando aquilo que se denominam de Toy-Con. O conceito “do it yourself” aplicado à construção e uso destes adereços certamente tornarão a experiência gaming mais imersiva e, acto contiguo, potenciam a criatividade e as capacidades cognitivas dos jogadores.

Segundo o presidente da Nintendo of Europe, Satoru Shibata, com o lançamento de Labo “o objetivo da Nintendo é colocar sorrisos nos rostos de todos os seus consumidores”, acrescentando que “o Nintendo Labo convida todos os que tenham uma mente criativa e um espírito divertido a criar, jogar e descobrir novas formas de interagir com a Nintendo Switch”.

Sendo todo um conceito assente em cartão canelado, é certo que a resistência do produto pode ser um ponto menos positivo. Segundo o vídeo, há muitas acções e movimentos que, ora repetidos ora mais intensos, irão certamente danificar ou até mesmo inutilizar os Toy-Con. O lado positivo desta susceptibilidade é o facto de a consola-mãe (onde está inserido o ecrã) não ter a mesma exposição que os comandos – excepto talvez no adereço que simula o volante de uma mota. O aspecto “descartável” poderá ser visto por muitos como um aproveitamento por parte da Nintendo de uma influência indirecta à compra de novos kits, devido aos anteriores simplesmente se terem rasgado ou até mesmo molhado.

O ponto forte deste tipo de material é que os jogadores mais criativos terão a oportunidade de personalizar os seus Toy-Con com desenhos, pinturas, autocolantes etc., de forma a lhes atribuírem um toque que reflicta verdadeiramente o seu estilo. Posto isto, um conjunto de personalização especial estará à venda aquando o lançamento do Labo, não fosse a Nintendo meticulosa e sagaz no que toca a sua gestão de Marketing.

O Nintendo Labo será lançado com dois kits distintos que conterão tudo o que é necessário para criar os Toy-Con, incluindo os materiais de construção e respetiva aplicação para a Nintendo Switch. O Kit Sortido incluí adereços modulares, que permitirão construir um carro telecomandado, uma cana de pesca, uma casa, uma mota e um piano.

Por exemplo, o piano tem 13 teclas através das quais se poderá produzir verdadeira música, após inserir a Nintendo Switch e o Joy-Con direito. Ao tocar, a câmara de infravermelhos presente no Joy-Con direito detecta as teclas premidas e reproduz cada nota através dos altifalantes incorporados na consola.

Por sua vez, os conjunto funcionais de guiadores, com um Joy-Con inserido em cada um dos lados e a Nintendo Switch estacionada no meio, será possível simular a condução de uma mota. Basta premir o botão de ignição, virar o guiador direito para activar o acelerador e inclinar o corpo, ou ao girar os guiadores direito e esquerdo, para controlar a rota da mota.

Outra mecânica interessante é o uso da vibração HD dos comandos Joy-Con no carro telecomandado. Basta inserir os Joy-Con esquerdo e direito na construção de cartão e, através dos controlos por toque na Nintendo Switch, activar a vibração dos comandos que, por sua vez, farão com que os carros se movam.

O outro kit será o Kit Robô, que permite criar um fato de robô ao inserir os Joy-Con direito e esquerdo, nas respectivas ranhuras da mochila, e do visor para assumir o controlo do robô, que será apresentado na TV quando a Nintendo Switch estiver colocada na base. Este será possivelmente o adereço do Nintendo Labo que mais se aproxima da realidade virtual (VR), apresentando alguns aspectos interessantes que até poderão vir a complementar esta nova forma de jogar videojogos.

Apesar de já haver perspectivas de preços em alguns países, o Nintendo Labo chega a Portugal no dia 27 de Abril ainda sem previsão de preço, mas com a garantia do aumento do leque de jogos da Nintendo Switch e a promessa de muitas horas de diversão com amigos e família.