Porque estão 30 mil pessoas a ver um ciclista em Lisboa?

Criado há um ano e meio, o canal de YouTube do One Cyclist In Lisbon tornou-se um pequeno fenómeno de nicho.

Ciclista em Lisboa

Não dá a cara, apenas diz o primeiro nome. Há 8 anos, Miguel adoptou a bicicleta como principal meio de transporte em Lisboa e, há um ano e meio, criou um canal de YouTube para mostrar as peripécias do dia-a-dia. São momentos “random” – como lhe chama – mas reúnem, no total, mais de 4 milhões de visualizações e já motivaram quase 30 mil pessoas a subscrever o seu canal.

Os vídeos de Miguel – ou o One Cyclist In Lisbon, como é mais conhecido – mostram as peripécias e desafios de quem usa a bicicleta como meio de transporte em Lisboa e momentos invulgares que vão acontecendo pela cidade. Pelo meio, mistura alguns passeios que faz por Lisboa, convidando a audiência a pegar na bicicleta e a explorar algumas ruas e bairros por vezes pouco conhecidos. Faz também alguns vídeos nos quais procura quebrar preconceitos relativamente a ciclistas e partilhar uma série boas práticas.

Ao longo dos diferentes vídeos, o One Cyclist In Lisbon apresenta rubricas que são comuns, como é o caso do “Honking Time”. A buzina da bicicleta de Miguel é uma das protagonistas do seu canal e usada para afastar os peões e veículos das ciclovias. Noutra rubrica, Miguel apresenta clips de vídeo que a sua audiência envia e que mostram como é andar de bicicleta noutras cidades ou países.

Com a ajuda de uma GoPro Hero 3, Miguel filma as suas deslocações entre casa, a faculdade, o trabalho part-time e o voluntariado que faz. Os trajectos diários permitem-lhe ter bastantes vídeos de partes distintas de Lisboa para editar ao final do dia como conta no vídeo que publicou no início de Dezembro do ano passado a explicar o seu projecto.

O facto de publicar em inglês pode ter ajudado este One Cyclist In Lisbon no crescimento que o canal tem tido – aliás, a sua principal audiência é internacional, servindo os seus vídeo como cartão de visita de Lisboa. Nem todos os vídeos são excepcionais, mas a aleatoriedade e o facto de terem apenas 3-5 minutos tornam-nos acessíveis e até divertidos de se ver.

Miguel diz que comprou a câmara em primeira instância para sua segurança, depois de testemunhar um acidente entre um ciclista e um automobilista que se colocou em fuga. Assim, caso venha a ter algum problema semelhante, o Miguel pode usar as imagens que gravou em sua defesa. Quem também usa a bicicleta para se deslocar em Lisboa, vai de certeza identificar-se com alguns dos momentos que Miguel apresenta, desde razias perigosas a situações embaraçosas provocadas pelo mau desenho das ciclovias.

Por exemplo para mim, enquanto utilizador diário da bicicleta também em Lisboa, os vídeos mostram duas particularidades desta opção de transporte: 1 – a imprevisibilidade, quer da cidade (há constantemente cenas caricatas ou surpresas a acontecer na rua), quer dos trajectos (podemos sempre descobrir um caminho ou um lugar novo); 2 – as dificuldades em circular de bicicleta e a discriminação que às vezes existe relativamente a esta forma de mobilidade.

Dou por mim a ver os vídeos do One Cyclist In Lisbon logo de manhã, enquanto tomo o pequeno-almoço. Aliás, é pelas 7-8 horas da manhã que Miguel publica. Já o fez todos os dias, agora a periodicidade é menor mas o One Cyclist In Lisbon promete conteúdo novo todas as semanas. Podes conhecer melhor o trabalho do Miguel no seu canal de YouTube. Quem sabe se os seus vídeos não te vão a inspirar a adoptar a bicicleta como meio de transporte – alguns dos seus seguidores dizem que o One Cyclist In Lisbon já teve essa influência nelas.