Um laboratório aberto onde todos podem criar (quase) tudo

Localizado nos Anjos, este laboratório coloca ao dispor, gratuitamente, um conjunto de máquinas para expandires a tua criatividade digital.

Escondido atrás do Mercado do Forno do Tijolo, nos Anjos, há um laboratório aberto ao público todas as terças e quintas onde podes criar quase tudo. Chama-se FabLab Lisboa e é um espaço da Câmara Municipal dedicado à chamada “fabricação digital”, isto é, à criação digital sem limites.

Abreviatura para Fabrication Laboratory, popularizada por Neil Gershenfeld, director do Center for Bits and Atoms do Massachussets Institute of Technology, os FabLabs são espaços de incentivo à autonomia criativa com base em soluções tecnológicas.

FabLab Lisboa

Quanto entras no FabLab Lisboa, vais encontrar um espaço fotogénico pela sua elegante e caótica desorganização. Há objectos espalhados por todo o lado, muitos deles criados nos vários workshops que se foram realizando no FabLab Lisboa, servindo de montra daquilo que é possível fabricar por ali. À entrada, uma colecção de posteres resume os eventos que o laboratório acolhe – de workshops regulares ao festival anual Young Creators –, ilustrando o dinamismo daquele espaço. Num conjunto de mesas no centro, meia dúzia de pessoas, residentes do FabLab Lisboa, realizam projectos mais ou menos profissionais para clientes municipais ou empresariais. Muitas vezes esses projectos não passam pela concepção final, mas apenas pela sua prototipagem.

As máquinas são uma ínfima parte do processo de criação. A criatividade é o elemento principal que se aplica não só no desenho, mas na imaginação do que pretendes criar com os objectos que podes produzir neste espaço de múltiplas valências. Aqui podes, por exemplo, imprimir um carro ou moldá-lo em madeira, acrescentar algumas componentes electrónicas, tornando-o telecomandado e até criar um comando da mesma forma.

Máquinas por todo o lado

scanners 3D e impressoras 3D que digitalizam e imprimem, por exemplo, em plástico, objectos desenhados em computador. Há uma cortadora a laser que permite cortar peças de madeira, cortiça, cartão e outros materiais a partir de moldes digitais e depois criar objectos interligando as várias peças. Há também uma fresa CNC que “cava” em materiais para gravar algo que pretendemos, e uma série de outras ferramentas à disposição de todos os visitantes, às terças e quintas. A sua utilização é gratuita se souberes manusear as máquinas e usares o software no teu computador. Contudo, neste espaço tens a possibilidade de requisitar um técnico para que te acompanhe na criação, neste caso, com um custo associado.

Nota que, apesar de a utilização das máquinas ser gratuita, os consumíveis não o são. Por isso, das duas uma: ou utilizas os que existem no FabLab Lisboa com um custo associado ou trazes de casa, sendo que, nesta segunda opção, os materiais têm de ser verificados pela equipa do FabLab Lisboa para garantir a sua compatibilidade com as impressoras e outros equipamentos. A forma ideal de garantir a disponibilidade de uma determinada máquina ou ferramenta deste espaço é fazer uma marcação através do site, onde para além de se escolher a máquina pretendida também se faz uma breve descrição do projecto e materiais a utilizar.

A fabricação digital é um mundo onde uma infinidade de áreas se podem cruzar – tecnologia, engenharia, tecelagem, arte, biologia, ciência, etc. É possível misturar tudo, desde que a criatividade o determine.

O FabLab Lisboa não é o único laboratório do género na capital, mas é o único municipal. Existem outros espaços dedicados à fabricação digital em Lisboa, como o FabLab EDP, e espalhados pelo país – do Fundão a Arcos de Valdevez – e inclusive uma associação nacional que representa parte dos fablabs, a Associação FabLabs Portugal.

Para saberes mais sobre o FabLab Lisboa, recomendamos-te o site oficial e a página de Facebook, na qual podes ter uma listagem sempre actual dos eventos.