Não leias só o Shifter. Lê mais, ouve mais, percebe mais

Um mundo melhor pode começar por uma imprensa independente.

 

No meio de tanta efeméride que se comemora por estes dias, é provável que não te tenhas apercebido de que no dia 3 de Maio se assinala o importante Dia da Liberdade de Imprensa. O mesmo não será verdade se por acaso nesse dia compraste o The New York Times ou outro dos jornais aderentes, e te cruzaste com a campanha lançada pela UNESCO para marcar este dia.

Numa inserção de página inteira em vários jornais e revistas, e numa parceria com uma série de grupos de media independentes, a UNESCO relembrou o público da importância de ler mais e ver mais para além das primeiras escolhas. Assim, o anúncio all-type (isto é, um anúncio só com texto) fazia um pedido para que leitores não lessem só o jornal em questão.

A ideia geral da campanha, com criatividade da agência Droga5, foi sublinhar a importância da pluralidade dos media e da sua independência, salientando que um mundo melhor pode começar por uma imprensa melhor. “Read more. Listen More. Understand More. It all stars with a free press” foi a assinatura escolhida para arrematar a mensagem.

Entre os jornais participantes desta iniciativa conjunta estão: Baltimore Sun​​, BBC News, Chicago Tribune​, CNN, ​Daily Press​, ​Financial Times​, ​Hartford Courant​, ​Helsingin Sanomat​,​ IPS World News, la Repubblica​, ​Los Angeles Times​, ​National Review​, ​New York Daily News​, ​New York ​magazine, NPR,​ Orlando Sentinel​, ​Philadelphia Inquirer​, ​Rappler​, ​Sun Sentinel​, ​The Atlantic​, ​The Economist​, ​The Guardian​, ​The Morning Call​, ​The New York Times​, ​The New Yorker​, ​The Wall Street Journal​, entre outros. Podes consultar a lista completa aqui.

De notar que a maioria dos participantes nesta campanha são norte-americanos, com destaque para as excepções La Repubblica, de Itália, Rapper, das Filipas ou Helsingin Sanomat, da Finlândia. De resto, uma das críticas apontadas a esta campanha foi precisamente a descriminação de algumas zonas do globo, que a comunidade no Twitter tentou colmatar.

Quanto a Portugal, não podemos deixar de referir no âmbito do Dia da Liberdade de Imprensa o Nónio, o novo monstro da comunicação social portuguesa, que recolherá dados dos leitores de 70 publicações, e as alternativas independentes que existem. Porque um mundo melhor pode começar por uma imprensa independente.

Gostaste do que leste? Quanto vale conteúdo como este?

Trabalhamos todos os dias para te trazer artigos, ensaios e opiniões, rigorosos, informativos e aprofundados; se gostas do que fazemos, apoia-nos com o teu contributo.