Depois de enfrentar congresso americano, Mark Zuckerberg esclarece o Parlamento Europeu

Finalmente as vozes vindas de Bruxelas foram ouvidas e o fundador do Facebook vem mesmo ao Parlamento Europeu.

No passado dia 16, o presidente do Parlamento Europeu, Antonio Tajani, confirmou a audição de Mark Zuckerberg através de um comunicado. O líder da rede social Facebook vem para esclarecer os euro-deputados na sequência do escândalo que envolveu a Cambridge Analytica – a consultora britânica especializada em análise e influência política.

Parece que ainda não é desta que Zuckerberg se vê livre de prestar mais esclarecimentos. No passado mês de Abril esteve perante os senadores norte-americanos, desta vez, é chamado a responder no Parlamento Europeu. Com os deputado europeus pela frente, Mark Zuckerberg, vai ter de explicar como foi possível a utilização indevida dos dados pessoais de cerca de 87 milhões de pessoas.

Numa altura em que está quase a entregar em vigor o novo e rigoroso Regulamento Geral de Protecção de Dados – a 25 de Maio – a presença de Zuckerberg no Parlamento Europeu não podia ser mais aguardada.

Em declarações prestadas à France Presse, uma fonte da rede social afirmou que o encontro de Bruxelas será a oportunidade para “dialogar, ouvir pontos de vistas e apresentar as medidas” para “melhor proteger a vida privada dos utilizadores”. No entanto, segundo a mesma fonte, este encontro decorrerá à porta fechada e será enquadrado na tradicional reunião dos líderes parlamentares que se realiza habitualmente à quinta-feira.

O facto desta sessão estar prevista realizar-se à porta fechada é agora a principal divergência na sede da política europeia. Alguns grupos e notáveis figuras do parlamento europeu já repudiaram a decisão, defendendo que o CEO da rede social tem de “vir nos mesmos termos do que foi feito nos EUA”. Apesar dessa nuance polémica, espera-se que a reunião aconteça num futuro muito próximo. Segundo o mesmo comunicado de Antonio Tajani, o pedido feito a Zuckerberg é para que se apresente, se possível, já na próxima semana perante os líderes dos vários grupos políticos, bem como os responsáveis do Comité para as Liberdades Civis, Justiça e Assuntos Internos.

Ao que tudo indica Zuckerberg, também se deverá reunir com Emmanuel Macron, no Palácio do Eliseu, em Paris. O Presidente Francês, vai receber cerca de cinquenta pessoas pertencentes a grandes empresas digitais na tentativa de obter um investimento por parte dessas no país e entre elas estará o CEO da maior rede social do mundo.