Uma equipa de reportagem da RTP a deslocar-se… de bicicleta

Foi uma experiência pontual, mas a equipa diz que gostaria de repetir.

RTP bicicleta
Foto de Sandra Vindeirinho/DR
 

É inegável dizê-lo: o fenómeno da bicicleta continua a invadir Lisboa com a contínua expansão da rede de ciclovias da cidade e das bicicletas partilhadas da Gira. Na esfera do Facebook são, para os mais atentos a este mundo, várias as histórias que são partilhadas, como a de um pai que transporta duas crianças felizes numa bicicleta em plena Rua do Ouro a uma fila de bicicletas que faz, por momentos, Lisboa parecer Amesterdão ou qualquer outra cidade já com uma forte e antiga tradição das duas rodas.

Uma dessas histórias é também a de Sandra Vindeirinho e António Antunes, uma equipa de jornalista e repórter de imagem da RTP que, no início de Maio, partilhou no Facebook uma iniciativa invulgar: fazer reportagem de bicicleta. “30 quilómetros em dois dias. Em 5 quilómetros de frente ribeirinha. Para trás e para diante, curvas e contra curvas, primeira equipa ciclista da RTP de grande reportagem!”, partilhou a Sandra Vindeirinho no seu perfil. “Transporte de entulho televisivo nunca foi tão fácil. E tão prazenteiro!”

Sandra e António estiveram a trabalhar numa grande reportagem intitulada A Cidade Imaginada e dedicada aos 20 anos da Expo 98 – ou seja, um trabalho feito não muito longe da RTP, que fica perto do Parque das Nações, na Avenida Marechal Gomes da Costa. Numa conversa via chat com o Shifter, Sandra explica que a alternativa – “andar com material às costas” – não só “seria mais cansativo, como pouco rentável a nível de tempo”. A bicicleta surgiu como uma “escolha natural” porque “havia 20 quilos de material para transportar, para cobrir uma área de filmagens de 5 quilómetros”, numa “área plana, grande parte dela com ciclovia”.

Fotos de Sandra Vindeirinho/DR

Sandra e António utilizaram duas bicicletas, uma simples e outra de carga emprestada por um colega. “A experiência foi pontual, para esta reportagem. Mas gostaríamos de repetir, sim. O nosso material é ainda muito pesado”, conta Sandra. O uso da bicicleta foi útil também durante a gravação da reportagem, quando o repórter de imagem, António, teve de acompanhar uma família de ciclistas. “Em cima de uma bicicleta, tens um olhar diferente. Se conseguires pedalar enquanto filmas, caso do António, consegues passar esse olhar subjectivo para o espectador”, explica.

Será que esta equipa de reportagem da RTP vai inspirar outras equipas da estação?

Gostaste do que leste? Quanto vale conteúdo como este?

Trabalhamos todos os dias para te trazer artigos, ensaios e opiniões, rigorosos, informativos e aprofundados; se gostas do que fazemos, apoia-nos com o teu contributo.