Boiler Room lançou “Netflix” para o “mundo underground”

Plataforma chama-se 4:3 e reúne filmes sobre música, cinema, arte e moda.

Boiler Room 4:3

Na era do 16:9 (ou do 18:9 no caso dos smartphones mais recentes, o Boiler Room lançou o 4:3, uma plataforma de streaming gratuita que é uma espécie de Netflix para o “mundo underground”. A marca que tem tudo a ver com underground e que deves conhecer dos concertos que promove com alguns dos melhores artistas da cena electrónica promete partilhar conteúdo sobre esse mundo mas também sobre cinema, arte e moda.

O Boiler Room diz que os vídeos do 4:3 vão explorar temas como performance, identidade, cultura jovem, vozes marginalizadas e anti-sistema. No lançamento, a plataforma apresenta um conjunto de pequenos filmes curados por Elijah Wood, Ryuichi Sakamoto, Peaches e Nkiru“jóias esquecidas e clássicos de culto” como In a Happy Place de Sandup Lepcha e Cycles de Zeinabu Irene Davis.

Segundo o site It’s Nice That, o 4:3 vai também ter lançamentos limitados, videoclipes e documentários, como Gil Scott Heron: Black Wax, The Rise of Neneh Cherry, Kuso do Flying Lotus, I Was There When House Took Over the World e ainda Sun, Sea and UKG, um documentário do próprio Boiler Room sobre como Ayia Napa se tornou a meca do UK Garage no final dos anos 1990. A mesma revista, uma referência nas áreas criativas, destaca ainda Bight of the Twin, realizado por Hazel Hill McCarthy III, um filme sobre cultos voodoo em Benin, África.

O 4:3 terá ainda conteúdos originais, como é o caso de Fleshback: Queer Raving in Manchester’s Twilight Zone, co-produzido pela escola British Council e realizado por Stephen Isaac-Wilson – um filme que explica a cultura queer no Reino Unido e o seu legado.

O site oferece na homepage os principais destaques e está organizado tanto por secções – “Features”, “Shorts”, “Music Videos” e “Reels” –, bem como playlists como “4:3 Curators” ou “Offbeat: music films”.

Podes ver a apresentação do 4:3 em baixo e explorar o catálogo aqui.