Mais de 8 mil pessoas compraram passe anual da Gira. Rede continua em expansão

Viagens vão ser gratuitas até final de Setembro.

Gira Lisboa
Este artigo é gratuito como todos os artigos no Shifter.
Se consideras apoiar o nosso trabalho, contribui aqui.

No dia 19 de Maio, fonte oficial da EMEL, proprietária do sistema de bicicletas partilhadas de Lisboa, anunciou no grupo de Facebook que num só dia – a sexta-feira anterior – foram realizadas 3367 viagens de Gira, um novo recorde diário. A este número, Miguel Gaspar, vereador de mobilidade da Câmara Municipal de Lisboa, acrescentou outro dado: 8700 pessoas compraram o passe anual do serviço e 900 o passe mensal.

A Gira é, conforme os números aparentam indicar, um sucesso. Já em Fevereiro passado foram contabilizadas 466 bicicletas num dos mais movimentados cruzamentos na ciclovia da Avenida da República, das quais 193 eram pertencentes à rede Gira. Na altura, o sistema ainda não chegava ao Marquês de Pombal, Avenida da Liberdade ou a Telheiras sequer. Hoje, existem 65 estação disponíveis, nas quais se incluem as 9 abertas na semana passada, na baixa, no Cais do Sodré, em Santos, em Santa Apolónia e no Martim Moniz. Em breve, estão previstas mais 8 estação: na zona Norte do Parque das Nações, em Telheiras, em Entrecampos e no Areeiro.

1ª fase atrasada

A conclusão da 1ª fase de implementação da Gira tem tido atrasos. Foram dadas várias datas no ano passado, apontando para este ano e o mês de Março. A 1ª fase da Gira prevê um total de 140 estação e de 1410 bicicletas; contudo, Miguel Gaspar avançou numa entrevista recente que poderão ser mais bicicletas que o número inicialmente previsto – até 1500 –, detalhando que, depois de concluída esta fase, pode ser feita a expansão para concelhos limítrofes de Lisboa, já sinalizados pela Câmara Municipal. Noutra entrevista, essa ainda mais recente, Miguel Gaspar afirmou que o objectivo é chegar às 10 mil viagens de Gira por dia.

Os atrasos no alargamento da rede da Gira podem estar relacionados com uma intervenção em várias bicicletas em simultâneo no mês de Abril, que levou à quebra na disponibilidade das mesmas no circuito. “Nos últimos 30 dias as cerca de 500 Giras disponíveis realizaram mais de 70 mil viagens, o que obrigou a uma revisão regular e intervenção de manutenção de várias bicicletas em simultâneo”, escreveu fonte oficial da EMEL no grupo de Facebook. “O nível normal de bicicletas na frota está já a ser reposto”, adiantou na altura, acrescentando que “estão a ser tomadas medidas para que de futuro esta situação, que lamentamos, não se volte a sentir na vida normal da rede Gira”.

Viagens gratuitas até Setembro

Por agora, a utilização da Gira custa 25 euros/ano ou 15 euros/mês, não sendo contabilizadas as viagens até Setembro deste ano, avança o Dinheiro Vivo. É um novo alargamento do período promocional, findo o qual cada viagem de bicicleta clássica custará 0,10 euros e cada viagem de bicicleta eléctrica ficará a 0,20 euros. No grupo de Facebook da Gira, alguns utilizadores mostraram a sua preocupação com este novo alargamento do período promocional (antes prometido até final de Março e depois até final de Maio): temem que possa levar à deterioração do serviço e sugerem 1 ou 2 meses de viagens grátis só para novos utilizadores.

A Gira está disponível entre as 7 da manhã e as 2 horas da noite.

Investimos diariamente em artigos como este.
Precisamos do teu investimento para poder continuar.