Open House volta a abrir as portas do Porto, Gaia e Matosinhos

A 4ª edição regressa dias 30 de Junho e 1 de Julho.

Open House Porto
 

É já no próximo fim-de-semana que o Open House Porto regressa à Invicta e também a Gaia e Matosinhos. Nos dias 30 de Junho e 1 de Julho, vão abrir-se as portas de 65 espaços de arquitectura de utilização industrial, numa selecção de espaços escolhidos por Inês Moreira e João Rapagão, arquitectos e comissários desta edição.

De acordo com a organização, são mais 5 espaços que a edição de 2017, que contou com 25 mil participantes. Dos 65 espaços, 70% são inéditos nesta edição e apenas 30% se repetem de edições anteriores. Inês Moreira e João Rapagão escrevem que “o foco curatorial da quarta edição aponta para arquitecturas de utilização industrial e para aquelas de sustentação das suas actividades, sejam de produção ou de habitação, mas também de vocação institucional, seja social ou cultural, numa demonstração clara de que as cidades que herdámos souberam assimilar e conciliar a indústria com os diversos usos que as estimulam e mobilizam”.

O Open House Porto vai abrir espaços industriais abandonados, outros renovados e com novos usos, mas que respeitam a sua memória e a história. O roteiro desta edição é arquitectonicamente diversificado e promete potenciar o debate sobre a transformação das cidades, “crescentemente assediadas pelo turismo”, prometendo ainda “desmistificar e desmontar tabus sobre a industrialização e a desindustrialização presentes nas três cidades”.

Os 65 espaços correspondem a nove fábricas e oficinas em funcionamento, 17 indústrias reconvertidas, sete instituições complementares à indústria e ao comércio, 13 indústrias, quatro tipografias, 12 infraestruturas civis e militares, 16 locais de grande interesse, bem como as instalações das três câmaras municipais envolvidas. As visitas são gratuitas, sendo necessário em alguns casos o registo prévio. Todas as informações estão no site oficial.

O Open House Porto é organizado pela Casa da Arquitectura e, à semelhança da edição anterior, decorrerão em alguns dos espaços acções paralelas denominadas “Programa Caleidoscópio”. Este programa tem por objectivo apresentar outras perspectivas de exploração e ocupação dos espaços, voltando a apostar na dinamização de actividades e visitas que pretendem valorizar a acessibilidade, a inclusão, as crianças e famílias, assim como os cruzamentos interdisciplinares com outras artes.

Gostaste do que leste? Quanto vale conteúdo como este?

Trabalhamos todos os dias para te trazer artigos, ensaios e opiniões, rigorosos, informativos e aprofundados; se gostas do que fazemos, apoia-nos com o teu contributo.