Uma baleia de 4500 quilos “salta” nos canais de Bruges

Perto da estátua de Jan Van Eyck, Skyscraper (como foi apelidada a peça) ergue-se de um dos canais e ficará na cidade Belga até ao dia 16 de Setembro.

Triënnale 2018; STUDIOKCA - 'Skyscraper (the Bruges Whale)'
Triënnale 2018; STUDIOKCA - 'Skyscraper (the Bruges Whale)'
 

Completamente ao encontro do desafio Plastic Free July, foi apresentada no Trienal de Bruges 2018, uma instalação de uma baleia de 9 metros de altura feita a partir de plástico marinho. Perto da estátua de Jan Van Eyck, Skyscraper (como foi apelidada a peça) ergue-se de um dos canais e ficará na cidade Belga até ao dia 16 de Setembro.

A sua estrutura interna é feita a partir de ferro e alumínio, mas o corpo da baleia em si é formado por cerca de 4500 quilos de plástico que foram recolhidos durante 6 meses dos oceanos Atlântico e Pacífico com a ajuda do Hawaii Wildlife Fund.

Jason Klimoski e Lesley Chang, os artistas do StudioKCA e responsáveis pela peça, explicam como chegaram a esta interpretação do tema da trienal deste ano — Liquid City: “quilo a quilo, há mais resíduos de plástico das nossas cidades a nadar no oceano do que há baleias. Uma baleia, rompendo a água, é o primeiro ‘arranha-céus do mar’ e, como maior mamífero marinho, pareceu-nos a forma certa para a nossa peça, para mostrar o alcance e a escala do problema.

A Baleia de Bruges pretende, assim, ser uma ilustração material da razão pela qual precisamos de mudar drasticamente a forma como usamos e descartamos o plástico hoje em dia, alertando para as 150,000,000 toneladas de plástico que ainda se encontram nos oceanos.

Gostaste do que leste? Quanto vale conteúdo como este?

Trabalhamos todos os dias para te trazer artigos, ensaios e opiniões, rigorosos, informativos e aprofundados; se gostas do que fazemos, apoia-nos com o teu contributo.