Uma baleia de 4500 quilos “salta” nos canais de Bruges

Perto da estátua de Jan Van Eyck, Skyscraper (como foi apelidada a peça) ergue-se de um dos canais e ficará na cidade Belga até ao dia 16 de Setembro.

Triënnale 2018; STUDIOKCA - 'Skyscraper (the Bruges Whale)'
Triënnale 2018; STUDIOKCA - 'Skyscraper (the Bruges Whale)'

Completamente ao encontro do desafio Plastic Free July, foi apresentada no Trienal de Bruges 2018, uma instalação de uma baleia de 9 metros de altura feita a partir de plástico marinho. Perto da estátua de Jan Van Eyck, Skyscraper (como foi apelidada a peça) ergue-se de um dos canais e ficará na cidade Belga até ao dia 16 de Setembro.

A sua estrutura interna é feita a partir de ferro e alumínio, mas o corpo da baleia em si é formado por cerca de 4500 quilos de plástico que foram recolhidos durante 6 meses dos oceanos Atlântico e Pacífico com a ajuda do Hawaii Wildlife Fund.

Jason Klimoski e Lesley Chang, os artistas do StudioKCA e responsáveis pela peça, explicam como chegaram a esta interpretação do tema da trienal deste ano — Liquid City: “quilo a quilo, há mais resíduos de plástico das nossas cidades a nadar no oceano do que há baleias. Uma baleia, rompendo a água, é o primeiro ‘arranha-céus do mar’ e, como maior mamífero marinho, pareceu-nos a forma certa para a nossa peça, para mostrar o alcance e a escala do problema.

A Baleia de Bruges pretende, assim, ser uma ilustração material da razão pela qual precisamos de mudar drasticamente a forma como usamos e descartamos o plástico hoje em dia, alertando para as 150,000,000 toneladas de plástico que ainda se encontram nos oceanos.