Frida Kahlo: a vida da pintora em fotografias para ver no Porto

A exposição "Frida Kahlo: As Suas Fotografias" pode ser visitada até dia 4 de Novembro no Centro Português de Fotografia, no Porto.

Frida Kahlo fotografias

Batizada Magdalena Carmen Frida Kahlo y Calderon, mais conhecida como Frida Kahlo, foi uma das mais importantes pintoras mexicanas do século XX. É sobre ela, o seu trabalho e a exposição de fotografias a decorrer, actualmente no Porto, que segue o texto.

Dotada de uma forte personalidade e de uma beleza exótica – embora não correspondesse aos padrões de beleza da época –, Frida Kahlo marcou gerações quer com a sua obra, quer com a vida sofrida que teve e que a tornou num ícone. É, aliás, impossível dissociar a biografia da sua obra graças aos cruzamentos de influências profundos e constantes.

Frida viveu uma vida marcada pela dor, angústia e sofrimento e fazia questão de o demonstrar ao mundo: grande parte das suas pinturas eram, precisamente, auto-retratos originados por uma constante auto-observação. O facto de ter passado, ao longo da vida, por vários períodos conturbados (o acidente de autocarro aos 18 anos, o facto de nunca ter conseguido engravidar, as inúmeras cirurgias a que foi submetida, o casamento tempestuoso com Diego Rivera, etc.) fez com que Frida se dedicasse à sua paixão –  a pintura – de pedra e cal.

Contudo, desengane-se quem pensa que Frida Kahlo por se dedicar à arte e à luta viveu a vida no limiar da desgraça. Embora tivesse grandes limitações físicas, foi capa da revista Vogue francesa em 1937, teve vários relacionamentos tanto com homens como mulheres, mesmo estando casada com Rivera. Ou seja, viveu uma vida plena e nunca deixou de lutar, o que faz dela um exemplo de superação e luta.

É, precisamente, um pouco desta intimidade que encontramos no CPF – Centro Português de Fotografia, no Porto. Frida Kahlo: As Suas Fotografias está dividida em quatro salas: três, onde podemos apreciar 241 fotografias da vida da artista e de quem a rodeava, e uma outra sala onde é possível assistir a um documentário sobre a sua vida e obra. “Origens”, “Casa Azul”, “Política”, “Revoluções e Diego”, “Corpo Acidentado”, “Amores” e “Fotografia” são os seis temas que compõe esta exposição.

Deambulando pelas três salas, damos de caras com fotografias de Kahlo em criança, com os seus pais, avós e outros familiares, bem como fotos de homens e mulheres com quem mantinha relações extraconjugais; deparamo-nos, também, com fotografias de alguns momentos determinantes da sua vida: a recuperação do acidente, a amputação da perna, entre outros; ou, ainda, a influência que o pai, Guillermo Kahlo, também ele fotógrafo, teve na vida da filha.

Este arquivo pessoal esteve fechado durante mais de 50 anos, na Casa Azul, onde viveu com Diego Rivera, que, depois da morte de Kahlo, doou esta casa ao povo mexicano onde, posteriormente, foi transformada no Museu Frida Kahlo. Crê-se que mais de seis mil fotografias, desenhos, roupas, cartas, remédios etc estiveram escondidos numa casa de banho da Casa Azul até 2003.

Os bilhetes variam entre os 5 (com desconto) e os 8 euros (preço normal) e parte das receitas reverte para a Associação Salvador, que apoia pessoas com deficiência motora. A exposição pode ser vista no CPF até dia 4 de Novembro.