Apple atinge valor recorde de 1 bilião, quase 5 vezes PIB nacional

O valor é um recorde absoluto de valorização monetária de uma empresa sedeada nos Estados Unidos da América mas não é mais do que um sinal de como o mercado está a evoluir.

apple

Ainda no final da semana passada dávamos conta da descida do valor por acção da Facebook INC e da consequente desvalorização bolsista da empresa de Mark Zuckerberg em resultado da apresentação dos dados do 2º trimestre do ano; Agora a empresa do momento é a Apple com um dia, também ele para a história, mas em sentido inverso.

A Apple apresentou hoje os resultados do 3º trimestre do ano (Q3) – para a empresa de Cupertino, o ano começa em Outubro (Q1) – e graças ao sinal mais transversal a toda a demonstração subiu na bolsa aquilo que lhe faltava para se tornar a primeira empresa a passar a marca do trilião de dólares (em nomenclatura americana).

O valor é um recorde absoluto de valorização monetária de uma empresa sedeada nos Estados Unidos da América mas não é mais do que um sinal de como o mercado está a evoluir. A prová-lo está o facto de também a Amazon poder alcançar essa marca se fizer uma boa demonstração de resultados no mesmo trimestre. Noutras geografias o valor também não seria recorde, na China, em 2007, a PetroChina atingiu uma valorização semelhante, apenas temporariamente.

A empresa de Jeff Bezos foi notícia há duas semanas depois de num dia de vendas recorde chegar aos 902 mil milhões de dólares de valorização, ameaçando a liderança da Apple. 

Um ponto importante de salientar e recorrendo de memória ao tombo recente da Facebook INC é que esta valorização é altamente volátil pelo que a Apple até pode terminar o dia de hoje abaixo do valor histórico que atingiu. Trata-se da cotação bolsista e não depende directamente dos activos nem dos resultados da empresa, mas antes da disponibilidade e confiança dos investidores que sendo pessoas estão sujeitas às suas irracionalidades e à especulação.

Olhando para as causas da valorização, pode dizer-se que são praticamente o inverso do que aconteceu com a empresa de Zuckerberg. A Apple Inc superou as suas projecções de receitas em mil milhões de dólares, chegando aos 53 mil milhões.  O maior aumento de receitas registado pela empresa deu-se na área de serviços, onde se incluem Apple Music, iCloud e Apple Care, com um crescimento de 31% neste trimestre, resultado da aposta da empresa neste segmento.

Em jeito de análise e para dar perspectiva a estes números, comparemo-los com o PIB Nacional recorrendo aos dados da Google para evitar incorrecções de conversão. Em 2016 o Produto Interno Bruto Nacional era de 206 mil milhões de dólares, ou seja, 1/5 do valor hoje atingido pela fabricante de iPhones.