Espectacular chuva de perseidas ilumina esta noite de Verão

Em Portugal estima-se que a partir das 23h estejam reunidas todas as condições indispensáveis à contemplação - como a escuridão e o astro limpo.

Chuva de Perseidas (Luis Calçada\Flickr)

Chama-se vulgarmente Chuva ou Banho de Perseidas e é um dos fenómenos astrológicos mais regulares e espectaculares que temos oportunidade de vislumbrar de qualquer parte do mundo. Sem data marcada, logicamente, o fenómeno ocorre sempre que a órbita terrestre se cruza com a cauda do cometa Swift-Turtle, algo que se dá entre Julho e Agosto de cada ano, e é possível de prever através de cálculos que relacionam a velocidade e direção dos corpos celestes no cumprimentos dos seus trajectos elípiticos em torno do sol. Este ano ocorre entre 12 e 13 de Agosto e tu podes assistir, ao vivo ou na internet.

Como consequência desta intersecção entre órbitas, a Terra atravessa uma zona repleta de pequenos corpos rochosos que acabam por fazer a travessia da atmosfera, desintegrando-se e criando uma chuva de meteoros verdadeiramente impressionante. Estima-se que, por hora, possam ser vistas cerca de 100 “estrelas cadentes”, como habitualmente apelidamos. De resto é essa a expectativa também em solo nacional segundo o Observatório Astronómico de Lisboa.

A visibilidade deste fenómeno depende altamente das condições atmosféricas de cada local, bem como da existência ou não de poluição luminosa que pode dificultar o vislumbre de luzes no céu nocturno, e do estádio da Lua. Em Portugal estima-se que a partir das 23h estejam reunidas todas as condições indispensáveis à contemplação – como a escuridão e o astro limpo. Para além disso a Lua no estado de Lua Nova, a 6 dias de Quarto Crescente, ajuda a manter a escuridão.

É devido à sua entrada na atmosfera terrestre num ângulo corresponde à Constelação de Perseu, que as estrelas deste fenómeno se denominam perseidas. Na tradição oral o fenómeno é também conhecido como Lágrimas de São Lourenço por ocorrer numa altura próxima daquela que marca a morte do mártir católico Lourenço de Huesca.

Segundo especialistas, a chuva de perseidas não é o maior fenómeno astronómico do genéro; Assim, deve a sua popularidade ao facto de ocorrer no verão, altura em que a sua visibilidade é facilitada e em que a população em geral tem mais tempo para se dedicar à observação. Também o termo chuva de estrelas não é completamente apropriado ao fenómeno. Neste caso por se tratar de um cruzamento com a cauda de um comenta, a maior dos corpos que entram na atmosfera terrestre são pequenas poeiras espaciais causando explosões luminosas com um diâmetro menor do que o das famosas estrelas cadentes, deixando pequenos riscos de luz nos céus.

Se apesar do bom tempo lá fora estiveres resistente a sair de casa e mesmo assim não quiseres perder o fenómeno podes assistir ao Livestream no Youtube do Observatório Slooh ou, no Facebook, à transmissão promovida pela NASA. Caso queiras presenciar o fenómeno ao vivo e a cores, lembra-te que os teus olhos precisam de se ambientar à escuridão de modo a serem capazes de detectar os pequenos traços de luz que a vão rasgar ao longo da noite – para isso recomenda-se que vás 15 minutos antes para o local escolhido para a observação e comeces a olhar para o céu promovendo a adaptação à luz dos teus glóbulos oculares. Para ser mais fácil localizares as estrelas fenomenais podes usar uma aplicação que te mostre cada constelação e tentar localizar Perseu ou Perseus em inglês.