Comissão Europeia vai propor fim da mudança de hora

Proposta ainda terá ainda um longo percurso pela frente. Em causa, pode estar o fim da mudança de hora entre o Verão e o Inverno.

Foto de Agê Barros via Unsplash

Entre 4 de Julho e 16 de Agosto, a Comissão Europeia (CE) lançou um inquérito online para averiguar a opinião dos europeus relativamente à mudança de hora entre o Verão e o Inverno. Face aos resultados obtidos – vontade expressa de eliminar o Daylight Saving Time –, a CE vai agora propor isso mesmo. A proposta terá de ser aprovada pelos Estados-membro.

Pelo menos 80% dos 4,6 milhões de europeus que responderam ao questionário da Comissão Europeia não querem mudar de hora duas vezes por ano e manter um horário fixo ao longo de todo o ano. O inquérito foi, de todos os formulários que a CE lança todos os anos sobre questões regulatórias, aquele que obteve o número mais elevado de respostas, algo que, segundo o Financial Times, surpreendeu os responsáveis daquele organismo europeu.

Hora de Inverno ou hora de Verão?

O Daylight Saving Time foi estabelecido na União Europeia em 1981. Resulta de uma directiva europeia que estabelece que todos os Estado-membro devem entrar na hora de Verão no último domingo de Março e adoptar a hora de Inverno no último domingo de Outubro, independentemente do fuso horário em que se encontram. Ou seja, o “horário normal” – por assim dizer – é o de Inverno e, se Daylight Saving Time acabar por ser eliminado no espaço europeu, poderíamos passar a mantermo-nos na chamada hora de Inverno durante os 365/366 dias do ano.

Contudo, ao canal de televisão alemão ZDF, o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, falou em manter a hora de Verão. “Levámos a cabo um inquérito, milhões de pessoas responderam e acreditamos que, no futuro, o horário de Verão deve durar o ano inteiro, e será isso que vai acontecer”, disse, citado pelo Deutsche Welle. “As pessoas querem-no, vamos fazê-lo.”

Uma controvérsia que pode acabar

Em 2018, a hora foi adiantada a 25 de Março e será atrasada no dia 28 de Outubro. Esta mudança horária é controversa. Os argumentos de apoio à alteração referem que a hora extra no Verão permite poupar energia, aumenta o tempo de lazer fora de casa e leva a uma maior segurança rodoviária. Os oponentes dizem que é difícil adaptar à mudança de hora e que esta tem um impacto negativo na saúde das pessoas, especialmente em perturbações do sono.

Foi esta controvérsia que terá levado o Parlamento Europeu a pedir, em Fevereiro deste ano, à Comissão para fazer uma avaliação e, se necessário, uma revisão da directiva que regula o Daylight Saving Time. A proposta de abolição da CE terá de ser aprovada agora pelo Parlamento Europeu e depois pelo Conselho Europeu.