Rapaz de 16 anos consegue “sacar” 90 GB de ficheiros internos à Apple

Aparentemente, o adolescente admirava a empresa e esperava um dia poder trabalhar lá.

Um adolescente de 16 anos de Melbourne, na Austrália, conseguiu entrar várias vezes na rede interna da Apple e descarregar um total de 90 GB de ficheiros. O jovem, cujo nome não pode ser revelado por razões legais, foi ouvido em tribunal esta quinta-feira, depois de a empresa da maçã ter contactado o FBI e este ter entregue o caso à polícia federal australiana.

De acordo com o jornal The Age e o advogado do rapaz, este acedeu aos sistemas da Apple várias vezes ao longo de um ano a partir da sua casa nos subúrbios de Melbourne porque admirava a empresa e esperava um dia poder trabalhar lá. O adolescente, que estuda numa escola privada, terá guardado a informação que descarregou numa pasta chamada “hacky hack hack”.

A mesma fonte refere que o jovem acedeu a informação de consumidores, como “chaves de autorização”, mas a Apple diz que não houve dados pessoais comprometidos. “Protegemos de forma vigilante as nossas redes e temos equipas dedicadas de profissionais de segurança de informação que trabalham para detectar e responder a ameaças”, avança a empresa de Tim Cook em comunicado. “Neste caso, as nossas equipas descobriram o acesso não autorizado, contiveram-no e reportaram o incidente às autoridades.”

A polícia federal australiana fez buscas na casa do adolescente e apreendeu dois computadores, cujos números de série correspondiam aos dos equipamentos usados para aceder à rede interna da Apple. De acordo com as autoridades, o rapaz também partilhou detalhes do seu hacking com um grupo no WhatsApp.

Uma especialista em privacidade da Universidade de Melbourne, ouvida pelo The Guardian, diz que já investigou vários casos de hacking por parte de jovens internacionalmente e que esse é um comportamento normal junto de adolescentes que crescem entre a tecnologia. “Colocá-los na prisão é muitas vezes um desperdício do seu potencial”, explica.