Os 3 novos iPhones e tudo o resto que a Apple anunciou

iPhone XS, iPhone XS Max, iPhone XR e Apple Watch 4 foram os produtos apresentados.

A Apple abriu o Steve Jobs Theater mais uma vez para apresentar as novidades que andou a preparar ao longo de meses e que em parte já conhecíamos. Mesmo assim, há sempre espaço para surpresas. Os novos modelos do iPhone – o XS, o XS Max e o XR – foram o centro das atenções.

Eis os iPhones XS, XS Max e XR

Depois do iPhone X, lançado há cerca de um ano, a Apple anunciou o sucessor daquele que, na altura, pareceu um teste para a tecnológica, que apresentou também dois modelos do iPhone “tradicional”. Este ano, os três modelos de iPhone anunciados apresentam o mesmo design, isto é, o mesmo ecrã que vai de uma ponta à outra da parte frontal com uma notch no topo.

O primeiro iPhone a ser mostrado foi o iPhone XS, disponível em dois tamanhos: um “normal” com o mesmo ecrã de 5,8 polegadas; e outro Max com 6,5 polegadas. Os dois com ecrã Super Retina com uma definição de 458 pixels por polegada, tecnologia HDR, melhores cores e um vidro mais resistente (tanto no ecrã como na parte de trás do telemóvel). É “o iPhone mais avançado que alguma vez criámos”, repetiu Tim Cook duas vezes durante a apresentação. É “o iPhone mais bonito que alguma vez fizemos”, acrescentou Philip Schiller.

Disponível em três cores – dourado, prateado e preto –, o novo iPhone XS é também mais resistente à água e a outros líquidos, como cerveja, aguentando até 30 minutos a 2 metros de profundidade. O som stereo emitido pelos altifalantes foi melhorado e ouve-se mais alto, diz a Apple. Os dois novos telemóveis trazem também um Face ID mais rápido e mais seguro, bem como um novo processador. O A12 Bionic inclui, além de um engenho neural (para a inteligência artificial), um CPU de 6 núcleos e um GPU de 4 núcleos, e promete no seu conjunto ser mais rápido e eficiente.

A câmara traseira do iPhone XS é composta por dois sensores de 12 megapixels, uma lente grande angular e outra de telefoto. Juntas, e com a ajuda da inteligência artificial, são capazes de produzir melhores fotografias, incluindo de objectos em movimento A Apple apresentou ainda aquilo a que chamou “Smart HDR”, ou seja, uma tecnologia melhorada do HDR que existe actualmente no iPhone. Na câmara frontal, existe agora também uma câmara dupla a pensar nas selfies com fundo desfocado. O iPhone XS foi apresentado também como uma potente câmara de filmar, capaz de captar imagens em ambientes luminosos invulgares e som stereo de qualidade.

O iPhone XS e o iPhone XS Max são praticamente iguais nas especificações, variando apenas o tamanho do ecrã e o tamanho da bateria. O iPhone XS apresenta uma bateria que, segundo a Apple, dura mais meia hora que a do iPhone X; já a da versão Max dura mais uma hora e meia. Os dois equipamentos suportam dois números de telemóvel pela primeira vez na história do iPhone e vão estão estar disponíveis a partir de 21 de Setembro (sim, em Portugal); o preço do XS começa nos 1179 euros e o do XS Max nos 1279 euros. Vão estar disponíveis com três capacidades: 64 GB, 256 GB e 512 GB.

A Apple apresentou ainda o iPhone XR, um smartphone com o mesmo design que os XS mas com um ecrã LCD em vez de OLED. O ecrã, a que a Apple chamou Liquid Retina, ocupa praticamente toda a parte frontal do equipamento, à excepção da notch, e apresenta 6,1 polegadas e 326 pixels por polegada. Há Face ID para desbloquear o telemóvel e fazer pagamentos; o processador é o mesmo A12 Bionic; a câmara é simples na parte traseira: a mesma lente grande angular do XS. Apesar de a câmara ter um sensor simples, é possível fazer fotos com profundidade (modo retrato). A bateria deste iPhone XR dura mais uma hora e meia que a do iPhone 8 Plus.

O iPhone XR é o mais barato dos três modelos. Vai estar disponível em várias cores – vermelho, azul e prateado –, a partir de 26 de Outubro em três capacidades: 64 GB, 128 GB e 256 GB. Vai custar 879 euros, ou seja, será mais barato que o iPhone 8 Plus. E, por falar, em iPhone 8, vai manter-se à venda por 719 euros; o iPhone 7 baixa para os 539 euros. O iOS 12 chega no dia 17 de Setembro.

Novo Apple Watch faz electrocardiogramas

A keynote arrancou com o anúncio de um novo Apple Watch, a 4ª geração do relógio da maçã. O design do equipamento mantém-se quadrangular, mas o ecrã foi aumentado e agora ocupa quase toda a parte frontal do equipamento. A Apple diz que os novos ecrãs (o Apple Watch tem dois modelos, um mais pequeno e outro maior) são entre 30 e 35% maiores que os da geração anterior. A parte traseira é agora também de vidro cerâmico e de cor preta, em vez de alumínio.

A pensar em que usa o Apple Watch para fazer chamadas, a tecnológica melhorou o microfone e o altifalante e colocou-os mais separados um do outro para reduzir o eco. Há um novo processador – o chip S4 – e outros componentes internos foram melhorados também. Agora o Apple Watch consegue detectar uma queda através do giroscópio integrado e do movimento dos braços do utilizador. O relógio também é capaz de detectar o ritmo cardíaco anormal e permite ao utilizador também fazer um electrocardiograma, sozinho e sem necessidade de um equipamento médico próprio, através dos eléctrodos disponíveis na parte traseira. De notar que um electrocardiograma feito com um Apple Watch pode, no entanto, não ser comparável ao de um feito por um médico.

O Apple Watch “Series 4”, como lhe chama a Apple, mantém uma bateria que dá para um dia inteiro e vai estar disponível em preto, rosa e prateado, com uma variedade de braceletes e estilos. Vai chegar ao mercado no dia 21 de Setembro; o preço começa nos 439 euros (versão GPS) e 499 dólares (versão com rede móvel). O Apple Watch “Series 3” vai baixar de preço: a partir dos 309 euros. Portugal só irá receber a versão GPS.