Será este desenho abstracto o mais antigo do mundo?

De notar que estamos a falar de um desenho. É diferente de uma gravura e de uma pintura. A gravura mais antiga, por exemplo, tem 540 mil anos.

O fragmento rochoso com o desenho (foto via Nature)

Ao contrário daquilo que o cinema ilustra, a arqueologia consegue ser uma actividade bem aborrecida. Luca Pollarolo há muito que andava a trabalhar na Blombos Cave, uma gruta na África do Sul escavada desde 1991. Parte do seu trabalhou passava por analisar o material encontrado nesse local, artefactos com 70-100 mil anos, ou seja, da Idade da Pedra Média. Recentemente, Luca teve uma surpresa: uma lasca de pedra com um padrão de traços vermelhos e entrelaçados.

A gruta (foto via Nature)

O arqueólogo e a sua equipa, liderada por Christopher Henshilwood, da Universidade de Bergen, na Noruega, acreditam que se trata do desenho abstracto mais antigo alguma vez encontrado. O fragmento de rocha siliciosa, de formato pontiagudo, tem 1,5 cm de comprimento e as marcas vermelhas persistem até aos dias de hoje. Estima-se que o desenho tenha 73 mil anos e que foi feito pelo homem moderno (Homo sapiens). A descoberta foi publicada na revista científica Nature.

O desenho é composto por nove linhas verticais e horizontais, sendo que seis delas são cruzadas por outras três, fazendo lembrar uma hashtag. A cor vermelha deriva de um “lápis” de ocre dessa cor. Pensa-se que, por as extremidades da pedra apresentarem cortes abruptos, o desenho – que os investigadores consideram ser abstracto – faria parte de uma superfície maior e de algo mais completo. Os arqueólogos tiveram de confirmar que o desenho tinha sido feito por humanos, tendo, para tal, realizado várias reproduções e experimentando técnicas diferentes.

O desenho (foto via Nature)

Até agora, os desenhos abstractos ou figurativos mais antigos tinham sido encontrados em grutas em Espanha ou França; tinham entre 30 e 40 mil anos de idade. De notar que o desenho agora encontrado não é uma pintura, nem uma gravura. Ou seja, não é tão complexo quanto poderia ser uma pintura, pois é composto apenas por linhas. Nem é uma gravura porque não foi usada uma pedra para fazer cortes numa superfície. Na Blombos Cave, foram encontradas algumas gravuras com um padrão semelhante ao deste desenho e também com mais de 70 mil anos, dando a entender que os homens modernos na África do Sul começaram cedo a fazer sinais em diferentes materiais, com uma simbologia desconhecida.

Uma gravura encontrada na mesma gruta e parecida com o desenho (foto via Nature)

A gravura mais antiga alguma vez descoberta tem 540 mil anos e estava no sítio arqueológico de Trinil, na Indonésia. Já a pintura terá começado há 65 mil anos entre os neandertal, também humanos e que terão iniciado nessa actividade antes dos Homo sapiens.