Escolhidos a dedo para trabalhar #NoMeioDoNada

Um gestor, um fotógrafo, uma apresentadora, um ilustrador e um redactor. Os cinco fizeram parte do cowork que a Samsung instalou na Casa do Penedo.

Para explorar todas as potencialidades e testar os limites do que é trabalhar #NoMeioDoNada, era preciso formar uma equipa multifacetada e criativa. Um grupo que fosse suficientemente representativo do mercado de novas profissões e composto por quem tem aquele gostinho especial para o desafio, e está habituado ou disposto a trabalhar em todo o terreno. Foi isso que a Samsung fez, convidando cinco profissionais que, desconhecidos uns dos outros, acabaram por formar uma espécie de dream team pondo o cowork do Penedo nas bocas do mundo.

Fernando de Pina Mendes

Fundador do NOW_CoworkLisboa

Quando se quer abrir um cowork – mesmo que por pouquíssimo tempo –, é preciso alguém que domine o assunto, conheça as suas dinâmicas e saiba como gerir um. Para esta importante e nobre missão, foi escolhido Fernando Pina Mendes. Designer, professor e aluno no IADE, e fundador do NOW_CoworkLisboa, Fernando foi o “business man” da Casa do Penedo ou, melhor dizendo, o “busy man”. Com o seu espírito criativo e o sorriso com que encara a sua profissão, faz o seu negócio e a gestão das comunidades parecer uma brincadeira – mas uma brincadeira à séria. Na Casa do Penedo, experimentou o Samsung DeX, o adaptador que permite transformar o Galaxy Note9 numa estação de trabalho à séria, e testou-o nos limites do multitasking, encarregando-se de orientar os coworkers #NoMeioDoNada e mantendo os seus coworks citadinos, de Lisboa e Porto, sempre sob controlo mas desta feita via wi-fi.

Mike Ghost

Músico e fotógrafo

Para os batidos do Instagram ou do metalcore, o nome de Mike Ghost não deve ser novidade. A comparação pode ser confusa mas se pensarmos no que faz Miguel Correia é fácil de perceber. Nascido no Algarve, foi desde cedo um aficionado pela música e começou por formar bandas com o irmão; mais tarde, tornou-se guitarrista da icónica banda More Than A Thousand com quem percorreu estradas pela Europa fora. Enquanto subia a pulso no difícil mundo da música – nessa e noutras bandas –, levava quase sempre na mão uma máquina analógica; assim se tornou num distinto fotógrafo. Com olho para o retrato e gosto pelo clássico, foi até ao meio do nada para captar o espírito da aventura e… testar a câmara do Galaxy Note 9. Nada como um aficionado do analógico para pôr à prova do digital. De resto, é esse o feeling com quem encara a fotografia: clássico é o bom gosto e qualquer câmara ou lente serve desde que corresponda ao standard de qualidade.

Rita Camarneiro

Humorista e apresentadora de televisão

É a única das convidadas para esta acção a merecer honras de página de Wikipédia. De nome próprio Ana Rita Camarneiro Mendes, é também provavelmente a cara mais conhecida do grupo escolhido para trabalhar #NoMeioDoNada. Estudou Psicologia Clínica na Universidade de Coimbra mas acabou por  seguir directamente para o mundo do stand-up e do guionismo. Entrou devagarinho pela Academia RTP, onde escreveu e protagonizou o filme Almas Penadas, mas desde então tem sido sempre a acelerar, passando por programas de televisão e de rádio como Anti Social (SIC Radical), Prova Oral (Antena 3) e CC All Stars (SIC Radical). Actualmente, é difícil não conhecer a Rita e reconhecer a sua vivacidade e alegria. Foi isso que levou até à do Penedo: humor e boa disposição. Porque a acção não é só convívio, aproveitou para fazer do Galaxy Note 9 o seu estúdio improvisado e improvisar umas lines de humor perdida entre pedras.

Hugo Barros Costa

Ilustrador

Uma paisagem bonita fica bem em fotografia mas ainda fica melhor em desenho; especialmente se esse desenho for feito pelo Hugo Barros Costa. Começou por brincadeira com os seus alunos a fazer um desenho de observação por dia e agora, diz o mito, que é absolutamente incapaz de parar por mais de um dia. Costuma andar às voltas pelo mundo a desenhar as cidades do nosso imaginário – e até já deu aulas na famosa Parsosn, em Nova Iorque – mas tirou uns diazinhos para vir até à Casa do Penedo ver como se porta a S Pen nas mãos de um ilustrador de mão cheia. A brincadeira de um desenho por dia começou quando leccionava a cadeira de Análise de Formas Arquitectónicas e, no Penedo, Hugo teve certamente um belo exemplar de estudo. Será que ainda a vamos ver desenhada?

Marco Brandão

Gestor de redes sociais, analista digital, colaborador do Shifter

O Marco é o homem da casa; isto é, da nossa casa, pelo que é mais difícil descrever. No Shifter, escreve sobretudo sobre música e pontualmente sobre “cenas” , isto nas pausas do seu trabalho como gestor de redes sociais e analista de marketing digital. Faz tudo isto e muito mais – basicamente o que for preciso –, resultado de uma juventude sem preguiça nem medo de umas incursões no mundo do trabalho, sempre com a preocupação de fazer algo criativo e… divertido. No meio de letras, redes sociais, posts, Stories e Analytics, foi até à Casa do Penedo para perceber se o Galaxy Note 9 é como promete, pau para toda a obra. Perdão, instrumento para todas as suas tarefa.

Saber mais

(conteúdo patrocinado por Samsung Portugal)