Do e-mail ao Hipchat. Slack vira-se para os seus concorrentes

O Slack quer ser o escritório virtual de cada empresa, onde os funcionários se podem encontrar e despachar o trabalho. Quer crescer como um centralizador de toda a comunicação digital numa empresa.

Foto de Thomas Hawk via Flickr

Sabes o Stride e o Hipchat, duas apps de chat, dois concorrentes do Slack desenvolvidos por uma empresa chamada Atlassian? O Slack adquiriu ambas as aplicações, encerrou-as e transferiu as respectivas bases de dados para a sua plataforma. Sabes o e-mail, outro grande concorrente do Slack? O Slack comprou uma ferramenta de inteligência artificial chamada Astro que vasculha o nosso e-mail e o calendário, seleccionando a informação mais importante.

Lançado originalmente em 2013, o Slack junta o melhor do chat e do e-mail numa ferramenta que permite a equipas comunicar internamente, não só discutindo ideias e partilhando documentos, mas também rindo de GIFs ou combinando festas. Oferecendo inúmeras integrações com as apps mais populares (Twitter, Trello, Google Drive, Salesforce, Giphy…), o Slack quer ser o escritório virtual das empresas, onde os funcionários se podem encontrar e oitentas o trabalho.

Mais de 50 mil equipas pagam o Slack, de acordo com dados divulgados em Maio. Representam 3 milhões de utilizadores activos diariamente; entre utilizadores que pagam e os que usam o Slack gratuitamente, são 8 milhões a abrir a app todos os dias.

Numa estratégia de aumentar a sua presença no mercado empresarial, o Slack tem vindo a fazer algumas aquisições; até agora, seis – o Spaces, uma ferramenta que permite a equipas colaborar em documentos; o Screenhero, que deu aos utilizadores do Slack a possibilidade de realizarem chamadas e partilharem o ecrã uns com os outros; e o Missions, uma ferramenta que permite automatizar rotinas e tarefas rotineiras.

Se estas três primeiras aquisições terão permitido ao Slack apenas reforçar uma ou outra funcionalidade na sua app, as mais recentes compras da empresa norte-americana poderão dar-lhe algum espaço no mercado. Em Julho, o Slack anunciou uma parceria com a Atlassian, que detinha, entre outras, duas aplicações semelhantes ao Slack: o Stride e o Hipchat. A relação entre o Slack e a Atlassian – anunciada aquando do lançamento do rival Microsoft Teamsé de parceria e não de compra, uma vez que, de acordo com o anunciado, a segunda manterá a sua independência e as suas outras aplicações, como o Trello, procurando criar melhores integrações entre estas e o Slack. O Slack apenas ficou com o Stride e o Hipchat, dois serviços que decidiu fechar, migrando os utilizadores para a sua plataforma.

Já no início desta semana, o Slack anunciou um negócio de compra com a Astro, considerado o maior dos seis da empresa liderada por Stewart Butterfield. Quando fechado, consumado os 28 funcionários da Astro irão juntar-se à equipa do Slack. O Astro é uma start-up que desenvolveu uma ferramenta que, através de inteligência artificial, destaca a informação mais importantes do e-mail e calendário dos utilizadores. Através de um plug-in para o Slack, chamado Astrobot, esses dados podem ser mostrados directamente no Slack.

Não foram revelados os valores em cima da mesa, mas tendo o Slack captado perto de 500 milhões de dólares recentemente – subindo a sua valorização para mais de 7 mil milhões de dólares – terá de certeza dinheiro para gastar. Com o Astro, o Slack poderá conseguir aproximar o mundo mais tradicional do e-mail (e do calendário) da sua moderna plataforma, crescendo como um centralizador de toda a comunicação digital numa empresa.