Transferências entre bancos diferentes já não têm de demorar um dia ou mais

Agora podes transferir dinheiro entre um banco e outro em 10 segundos, mas processo é mais caro que uma transferência dita normal (que pode demorar um dia ou mais).

Foto de Christian Dubovan via Unsplash

Quando tens um amigo de outro banco e lhe queres passar dinheiro por transferência bancária, sabes que o tens de fazer antes das 15 horas de um dia útil e, mesmo assim, o destinatário só terá o valor disponível na sua conta no dia seguinte. Isto, claro, se não existir um feriado ou um fim-de-semana pelo meio, o que fará todo o processo demorar mais tempo.

No advento de tecnologias como o blockchain, alguns processos bancários como o supra descrito tornam-se difíceis de compreender, mas há progressos a serem feitos. Desde 2015, é possível transferir dinheiro de forma instantânea através do serviço MB Way; independentemente de ser entre o mesmo banco ou bancos diferentes, o dinheiro fica disponível na conta destino em pouquíssimo tempo. A única desvantagem é que os dois clientes bancários têm de usar o MB Way, disponível apenas em smartphones iOS e Android. Entre Janeiro e Agosto deste ano houve transferências no valor de 3,5 milhões de euros através do MB Way.

Transferências interbancárias até 10 segundos

Todavia, desde esta semana, transferências bancárias que demoram até 10 segundos (em vez de um dia) passaram a ser uma realidade desde que os bancos sejam aderentes deste sistema, que é regulado pelo Banco de Portugal e operacionalizado pela SIBS. Em cada operação podem ser transferidos até 15 mil euros.

A adesão ao sistema é voluntária por parte dos bancos, pelo que há alguns que ainda não oferecem o serviço. Por agora, BCP, Santander, BPI, Montepio e Bankinter são as únicas instituições aderentes às transferências imediatas, que – note-se – não estão disponíveis nas caixas automáticas Multibanco. Em comunicado, o Banco de Portugal disse que espera “um gradual aumento de cobertura e amplitude ao longo dos meses subsequentes, tanto ao nível das instituições participantes, como dos segmentos e canais em que o serviço é disponibilizado”.

Para fazer uma transferência interbancária de forma imediata, basta aceder ao serviço de homebanking do banco e colocar o IBAN do destinatário. Se a pessoa que fizer a transferência e aquela que a receber pertencerem a bancos aderentes, o dinheiro ficará disponível em segundos; caso contrário, o processo demorará o tempo habitual. Apesar do limite máximo de 15 mil euros por transferência, os bancos podem definir um valor limite inferior “por motivos comerciais e de gestão de risco”, explica o Banco de Portugal.

Custo é mais elevado que uma transferência normal

De referir que os bancos cobram mais pelas transferência imediatas, podendo o valor dessas comissões ser significativamente mais elevadas relativamente ao processo equivalente por MB Way (que pode ser gratuito ou custar entre 0,20 e 1,30 euros, refere o jornal ECO). O ECO conta que no caso das transferência imediatas de um banco para outro podem ser mais caras também que uma transferência normal. O Montepio, por exemplo, cobra 1,50 euros em vez de 1 euro, como habitualmente. Já uma transferência imediata no BPI custa 2 euros.

O sistema de transferências imediatas já funciona em Portugal, mas a ideia é que esta solução seja integrada com à escala europeia. O Banco Central Europeu (BCE) está a trabalhar no desenvolvimento de um sistema de pagamentos imediatos.