A arte de saber beber café

Percebendo que a cafeína é responsável por um aumento de energia no nosso organismo e também pelo seu oposto horas mais tarde, podes usar esta informação para te tornar um verdadeiro mestre na arte de beber café para ser mais produtivo.

Foto de Karl Chor via Unsplash

Para nós, portugueses, o hábito de beber café está-nos no sangue e, para ajudar à “festa”, temos à nossa disposição a um preço muito razoável alguns dos melhores cafés do mundo. Portanto, é normal encontrar, a qualquer hora do dia, as nossas esplanadas cheias de “pequenos e graúdos” a beber o seu café e a aproveitar aquela merecida pausa (sabe-se lá do quê).

Mas antes de nos tornarmos “viciados” nesta droga e não sermos capazes de viver sem beber um, dois…cinco ou seis cafés por dia, começamos a fazê-lo pelo benefício energético que lhe é inerente. É aqui, que se torna importante perceber como a cafeína actua no nosso organismo, e como podemos tirar o melhor proveito da mesma.

Por estas razões, achei essencial explorar o que acontece com o nosso corpo quando ingerimos cafeína e perceber como podemos tirar proveito deste conhecimento para optimizar a nossa produtividade e, o nosso dia-a-dia.

Um olhar científico sobre o consumo de cafeína

Existe uma substância química, chamada “adenosina”, que informa o cérebro de que o teu corpo está cansado. É nesta altura que o consumo de cafeína produz os seus efeitos, não deixando o cérebro absorver essa substância química e, impedindo-o de perceber que estamos cansados. No entanto, apesar de a cafeína impedir o consumo de “adenosina” pelo cérebro, esta continua a desenvolver-se ao longo do dia e quando a cafeína que tomámos deixar o nosso sistema, vamos ter um cérebro pronto para absorver toda a “adenosina” produzida durante as horas da “moca” produzida pela cafeína. Por esta altura, tudo isto acontece de uma forma repentina e abrupta, levando os nossos níveis de energia a caírem a pique.

Para quem pensava que o café era uma fonte infinita de obtenção de energia e que não havia lado negativo, tenho más noticias – o consumo de cafeína é, uma forma de pedir energia emprestada às horas mais tardias do dia para o “eu de agora”. Quer isto dizer que, sempre que bebes um café vais ganhar um “boost” de energia e, entre oito a quatorze horas depois (este número varia de pessoa para pessoa), o teu corpo vai pedir de volta a energia emprestada – com juros.

Agora, imagina os efeitos devastadores que isto pode trazer para a tua vida, a longo prazo. Aqui podes achar que a palavra “devastador” é demasiado severa, mas pensa que a cafeína pode ser responsável por tu te apresentares nos momentos mais importantes do teu dia (semana, mês ou anos) com os teus níveis de energia no seu ponto mais baixo – o que torna o teu desempenho mais medíocre do que na realidade é.

A luz ao fundo do túnel

Foto de Toa Heftiba via Unsplash

“Eu amo beber o meu café e não é por isso que o vou deixar de beber!” Em primeiro lugar, o mais provável é que o que amas seja a rotina associada ao momento de beber café, mas isso é assunto para outra conversa… Vendo as coisas da perspectiva do “copo meio cheio”, o importante de realçar, com estes dados, não são os malefícios que a cafeína pode trazer ao teu dia e ao teu corpo, mas sim, as oportunidades que um consumo estratégico e ponderado pode trazer para o aumento da tua qualidade de vida.

Percebendo que a cafeína é responsável por um aumento de energia no nosso organismo e também pelo seu oposto horas mais tarde, podes usar esta informação para te tornar um verdadeiro mestre na arte de beber café para ser mais produtivo. Como? Tendo consciência quais os momentos do teu dia em que ocorrem as tarefas mais importantes e quando é que o teu cérebro vai pedir a energia hipotecada de volta – para perceberes de forma mais aprofundada quando estes picos acontecem no teu organismo pode ser muito útil criar um registo dos teus níveis de energia durante uma semana.

Aqui falo na qualidade de um apaixonado por beber um (ou cinco) bons cafés diariamente, e por isso, percebo a importância que isto pode ter no teu dia-a-dia. Mas a realidade é que para quem, como eu, bebe demasiados cafés por dia, somos mais apaixonados pela rotina e pelo ritual do que pela cafeína em si. Daí achar que este artigo pode ajudar a, continuarmos a beber aquele tão prazeroso café e, ao mesmo tempo, fazê-lo de uma forma estratégica e aproveitando todos os benefícios que esta bebida nos pode dar.

Resumindo…

  • O consumo de cafeína pode causar o efeito exactamente oposto do previsto – perda de energia nos momentos em que mais precisas dela.
  • O teu corpo pede a energia hipotecada de volta entre oito a quatorze horas depois.
  • Deves consumir cafeína antes das tuas tarefas de maior importância e evitar consumir apenas “porque sim”.
  • Criar um registo dos teus níveis de energia pode ser bastante útil para perceberes qual a melhor e pior altura para ingerires cafeína.
  • Deixa de consumir cafeína após certa hora do dia para que os teus picos altos e baixos, de energia, aconteçam na altura em que mais precisas deles.
  • Quantos mais cafés beberes mais resistente o teu corpo se vai tornar ao seu efeito. Ou seja, um consumidor regular precisa de muitos mais cafeína para obter os mesmos resultados que um consumidor estratégico.