Todos os autocarros em Lisboa e arredores vão ser amarelos e ter marca única

Um sistema idêntico aos que existem noutras capitais, como Londres.

Em Abril do próximo ano, passará a existir um passe mensal único de transportes, que permitirá circular dentro de Lisboa por 30 euros e na Área Metropolitana por 40 euros, em qualquer transporte. Em Janeiro de 2020, estará operacional uma marca única que identificará todos os autocarros da Grande Lisboa, pintando-os de amarelo – vai chamar-se Carris Metropolitana.

Este é, pelo menos, o calendário que faz parte da proposta aprovada esta quarta-feira em reunião do Conselho Metropolitano de Lisboa. A Carris Metropolitana não será um novo operador, nem ditará o fim das empresas de autocarro já existentes nos 18 municípios da chamada Área Metropolitana de Lisboa (AML). Em vez disso, consistirá numa marca que essas companhias passarão a usar; ou seja, em vez de existir a Vimeca ou a TST, existirá apenas a Carris Metropolitana.

No fundo, trata-se de um sistema idêntico aos que existem noutras capitais, como Londres, onde a Transport For London agrega debaixo da mesma marca diferentes operadores privados. A Carris Metropolitana passará a fazer parte do dia-a-dia destes 18 concelhos: Alcochete, Almada, Amadora, Barreiro, Cascais, Lisboa, Loures, Mafra, Moita, Montijo, Odivelas, Oeiras, Palmela, Seixal, Sesimbra, Setúbal, Sintra e Vila Franca de Xira.

Bilhetes iguais para todos

Além de uma marca comum, será criado também um sistema de bilhética igual para todos os autocarros da Área Metropolitana e um mapa único da rede – ferramentas que serão construídas ao longo dos próximos meses tendo em conta os movimentos pendulares que existem entre os concelhos e as ligações a outras formas de transporte, como o comboio, o metro e o barco.

Prevendo-se que a Carris Metropolitana esteja operacional no arranque de 2020, o próximo ano servirá para preparar aquilo a que o presidente da AML, Fernando Medina, apelida de “uma revolução nos transportes da Grande Lisboa”. Poderão entrar novos operadores privados e aqueles que já prestem serviço de autocarro poderão modernizar e reforçar a frota através de um concurso público internacional que será aberto nesse ano.

Os 18 municípios da Área Metropolitana de Lisboa acordaram investir um total de 30 milhões na melhoria do sistema de transportes. A contribuição de cada concelho será ponderada consoante critérios, como o número de habitantes, a área e as necessidades.