DocLisboa está a chegar e já tem programação completa

DocLisboa acontece de 18 a 28 de Outubro, inaugura com The Waldheim Waltz e terá entre os destaques Fahrenheit 11/9, de Michael Moore.

Fahrenheit 11/9, de Michael Moore

O festival de cinema documental de Lisboa regressa pela 16ª vez à capital. Entre 18 e 28 de Outubro, serão exibidos no festival 243 filmes, dos quais 68 são estreias nacionais e 22 estreias internacionais, num conjunto proveniente de 54 países diferentes.

A programação deste DocLisboa inaugura com The Waldheim Waltz, filme austríaco deste ano de Ruth Beckermann. Em 1986, Beckermann foi uma das activistas que procurou impedir a eleição de Kurt Waldheim. Décadas depois, regressa a este momento, para compreender a Áustria de hoje. A encerrar o DocLisboa estará Infinite Football, um documentário romeno, também deste ano, em que Corneliu Porumboiu, o realizador, apresenta um novo desporto cujo irmão de um bom amigo de infância dele diz ter inventado alterando as regras do futebol.

Infinite Football

Na Competição Internacional apresentamos 22 filmes, e na Competição Portuguesa estão a concurso 18 filmes. São, para a direcção do festival – Cintia Gil e Davide Oberto –, “duas competições plurais, cheias de diferenças entre filmes, de ressonâncias e de tensões. Duas competições em que estão diferentes gerações de realizadores, todos eles resistentes e suficientemente inquietos para que os seus filmes nos tenham atravessado e se tenham instalado no festival”. “Só gostamos de mostrar filmes que nos deslocam, torcem, acusam e afagam, e que exigem que os mereçamos para que os possamos olhar em paridade”, dizem ainda.

O DocLisboa apresenta vários outros filmes fora das competições principais, e organizados em diferentes secções. A secção Riscos vai trazer James Benning e Mike Hoolboom como realizadores convidados, e o foco temático “Transmissão, Territórios Imaginados”, que condensa uma linha de força do festival: filmar é confrontarmo-nos com outros mundos possíveis. Jorge Cramez, Manuel Botelho e Rui Simões trazem obras que nos falam disso mesmo. O actor Jean-François Stévenin é um dos convidados do festival, e irá apresentar cópias restauradas dos três filmes que realizou.

The Waldheim Waltz, o filme de abertura deste DocLisboa

Da Terra à Lua apresenta os mais recentes filmes de realizadores chave do panorama documental da actualidade. Aos filmes de Wang Bing, Frederick Wiseman, Rithy Pahn, Stefano Safona e Želimir Žilnik, junta-se um nome de peso: Michael Moore e o seu mais recente Fahrenheit 11/9. Destaque ainda para duas estreias mundiais: PE SAN IE – O Poeta de Macau, de Rosa Coutinho Cabral, e O Plano, de Steve Sprung.

O Heart Beat é a secção do Doclisboa que enche o festival de música e dança: ficamos a conhecer Chilly Gonzales na abertura, há ainda Depeche Mode, jazz, country, fado e dancehall. Duas senhoras do punk brilharão no ecrã: Joan Jett e Vivienne Westwood. Para recordar a rainha da soul, Aretha Franklin, será exibido o lendário musical The Blues Brothers.

A secção Verdes Anos apresenta em especial três primeiros filmes, de David Pinheiro Vicente, Cláudia Varejão e Miguel Gomes. Além da selecção de filmes de novos realizadores que estarão em competição, serão exibidos trabalhos de final de curso da escola convidada, a Academia Real de Belas Artes da Universidade de Gante (KASK).

Por último, o Arché, laboratório profissional de desenvolvimento de projectos, conta este ano com um total de 12 projectos, dos quais quatro são portugueses. Os tutores desta edição são Marta AndreuLuciano Rigolini e Andrés Duque. Este ano, o DocLisboa acontece de 18 a 28 de Outubro, na Culturgest, no Cinema São Jorge, na Cinemateca Portuguesa  e no Cinema Ideal. Os bilhetes para o festival já estão à venda.