Precisamos mesmo destes “portais” do Facebook, Google e Amazon?

Facebook Portal, Google Home Hub, Amazon Echo Show. Três ecrãs, duas câmaras, três empresas diferentes.

Na segunda-feira, o Facebook anuncia o Facebook Portal. No mesmo dia, a imprensa norte-americana publica as suas análises, até então sob embargo, ao novo Amazon Echo Show. Na terça, a Google apresenta o Google Home Hub. O que há em comum entre estes três dispositivos? Apesar de serem de empresas distintas, com backgrounds diferentes, todos têm um propósito semelhante, para não dizer igual: videochamadas, entretenimento (música, vídeo…) e auxílio (através assistentes pessoais por voz) na mesa do quarto ou na bancada da cozinha.

A keynote da Google já estava marcada para dia 9 de Outubro e o Facebook aguardava, de certeza, o anúncio por parte da Google de um produto semelhante àquele que a empresa estava a preparar. A juntar a isso o facto de as análises à segunda geração do Amazon Echo Show, anunciada no final de Setembro, terem saído no mesmo dia em que o Facebook por fim revela o Portal também não terá sido por acaso.

Mas deixemos as jogadas de marketing e concentremo-nos em cada um dos produtos. Enquanto que o Facebook Portal parece simplesmente uma câmara que o Facebook acha que vais querer ter em casa, o Google Home Hub é apresentado como um utilitário doméstico e não tem câmara. Já o Amazon Echo Show posiciona-se o Portal e o Hub: permite videochamadas mas também ver vídeos, ouvir música ou consultar receitas de culinária online.

Os três produtos – que, por agora, vão chegar apenas ao mercado norte-americano – representam uma nova categoria de dispositivos inteligentes para a tua casa e levantam a questão: precisamos de mais tecnologia e de mais ligações à internet, ou basta-nos o smartphone e o que já temos?

Facebook Portal: reinventando a videochamada

O Facebook Portal não é o primeiro hardware a ser lançado comercialmente pela empresa de Mark Zuckerberg, que detém a empresa de realidade virtual Oculus, mas representa uma aposta arriscada – especialmente tendo em conta que o ano arrancou com a empresa debaixo de fogo por causa do caso Cambridge Analytica e que ainda recentemente esteve envolvida num outro escândalo, desta vez uma falha de segurança que comprometeu, pelo menos, 50 milhões de utilizadores.

Portal from Facebook

Publicado por Facebook em Sexta-feira, 5 de Outubro de 2018

O Portal é um ecrã e uma câmara, cujo principal propósito é permitir videochamadas através do Messenger entre amigos ou familiares distantes fisicamente. A câmara dispõe de um sistema que ajusta o ângulo e o zoom da imagem ao sujeito que está à sua frente. Por exemplo, se estás na cozinha a preparar o jantar, a câmara vai acompanhar-te; ou se entrar numa nova pessoa na sala, a câmara irá fazer zoom-out para a integrar também. O mesmo acontece com o som, de modo a reduzir o ruído. O Portal vem com uma funcionalidade chamada “Home and Away”, que usa a localização do teu telemóvel para determinar quando estás em casa e disponível para receber chamadas no equipamento.

O Facebook Portal

O Facebook fala em “privacy by design” no mini-site que construiu para o produto, revelando as suas preocupações na concepção do produto. Além de um botão físico no topo do Portal que te permite desligar a câmara e o microfone,  vem com um acessório para que possas tapar a câmara. A empresa diz ainda que não ouve as chamadas feitas através do Portal, nem usa qualquer tipo de tecnologia de reconhecimento facial, acrescentando que que a tecnologia que torna a câmara inteligente corre no próprio equipamento e não num servidor remoto.

O “Story Time” no Facebook Portal

Aproximar as pessoas é o que o Facebook pretende com este novo produto, pelo que adicionou algumas funcionalidades exclusivas, como o “Story Time”, em que uma mãe pode usar efeitos sonoros e animações em realidade aumentada para contar uma história à filha antes de esta se deitar; ou o “Listen Together”, em que duas pessoas podem cantar uma música em conjunto.

O Portal tem algumas apps, como o Spotify

O Facebook Portal vem com a assistente pessoal da Amazon, Alexa, integrada, e resposta automática ao comando “Hey Portal”. Com este gadget podes também ver vídeos no Facebook Watch, ou ouvir música no Spotify ou na Pandora, que são, por agora, alguns dos parceiros e apps que o Facebook “contratou” para o seu produto. O Portal vai estar disponível em dois tamanhos e, por isso, dois preços: 199 dólares para o modelo mais pequeno, com um ecrã de 10 polegadas e resolução 1280×800; e 349 dólares para a versão de 15 polegadas e 1920×1080 pixels.

Google Home Hub: um tablet fixo

Google Home, Google Home Mini e agora Google Home Hub. A tecnológica liderada por Sundar Pichai rendeu-se ao ecrã no novo membro da família Home. O Google Home Hub é como que um tablet colado a um apoio fixo e semi-vertical, e que quer ser útil em tua casa.

O Google Home Hub

Ao contrário do Facebook Portal, o foco do Google Home Hub é na utilidade. Aliás, não há qualquer câmara no Hub para que “te sintas confortável a colocá-lo em espaços privados da tua casa, como o quarto”, diz a Google. O Hub quer ser uma espécie de rotineiro do teu dia-a-dia, com a ajuda do Google Assistant, o assistente digital desenvolvido pela Google. Se lhe disseres “Hey Google, good morning”, ele irá mostrar-te uma lista dos eventos e lembretes que tens para aquele dia, bem como a meteorologia ou o trajecto do teu commute; e, ao final do dia, com um “Hey Google, good night”, o hub trata de activar o teu alarme, desligar as luzes e deixar-te dormir descansado.

O Hub disfarçado em tua casa

Durante o dia, poderás usar o Google Home Hub para ver vídeos no YouTube ou receitas de culinária, colocar uma música a tocar no Spotify, controlar as luzes ou a temperatura da tua casa ou, caso tenhas uma câmara de vigilância no exterior, espreitar o que por lá se passa. Poderás também transformar o Google Home Hub numa moldura digital, que mostra as tuas fotos através do Google Photos.

O Google Home Hub funciona com algumas Smart TVs do mercado e com uma variedade de electrodomésticos em rede de diferentes fabricantes, incluindo outros dispositivos Google Home que tenhas em casa. São várias as apps e serviços que podes usar no Hub e vão muito além do ecossistema Google. O Hub, disponível num modelo único com um ecrã de 7 polegadas e com colunas stereo, vai custar 149 dólares.

Amazon Echo Show: a segunda geração

O primeiro Echo Show foi lançado no ano passado e no final de Setembro a Amazon apresentou a nova geração, com um conjunto de actualizações a começar pelo hardware. Com um design mais apelativo, o Echo Show é como o Google Home Hub: um ecrã semi-vertical onde podes ver informação útil, vídeos online, fotos pessoais ou receitas. A Amazon tem um conjunto de parcerias com algumas plataformas de receitas a pensar em quem queira colocar o Echo Show na cozinha.

O Amazon Echo Show

Podes também navegar na web através do Silk, o browser da Amazon, ou do Firefox, e ter acesso a algumas aplicações como o Hulu, a NBC ou o Vevo, serviços disponíveis e populares nos Estados Unidos. Também há uma câmara para poderes fazer videochamadas através do Skype ou da plataforma própria da Amazon. No Echo Show vais encontrar os serviços da Amazon, como o Amazon Music ou a Alexa, pelo que poderás usar comandos de voz para utilizar o dispositivo.

De resto, o novo Amazon Echo Show apresenta um ecrã de 10 polegadas, com resolução HD e oferece melhor áudio relativamente à geração anterior. O preço situa-se nos 230 dólares.