Uns óculos para te proteger da imensidão de ecrãs do mundo

Dá descanso à tua retina e ao teu cérebro.

É inevitável hoje em dia passarmos grande parte dos nossos dias em frente a ecrãs: telemóveis, computadores e televisores tornaram-se omnipresentes nas nossas vidas e, a páginas tantas, mesmo que queiramos torna-se difícil evitá-los. Segundo um artigo do New York Times deste 2018, os norte-americanos chegam a passar 11 horas por dia em frente a ecrãs.

Quer estejamos no autocarro às escuras a levar com a luz do smartphone da pessoa do lado, no café com a televisão permanentemente a estimular-nos a visão periférica, muitas vezes mesmo sem nos apercebermos estamos a ser alvo da luz destes gadgets.

Foi a pensar nessa problemática e depois de ler um artigo na revista Wired sobre um novo tipo de plástico que bloqueava a luz dos aparelhos electrónicos que Scott Blew, um empreendedor norte-americano, teve a ideia de criar uns óculos à prova de blue-light – mais especificamente à prova de ecrãs LED ou LCD, pelo que não evita ecrãs OLED como os de alguns smartphones (o iPhone X ou XS, por exemplo).

Para testar a ideia, como prova de conceito, contactou a empresa responsável pelo desenvolvimento desse plástico especial e colocou-o nuns óculos baratos que tinha por perto. Mais tarde mostrou a sua criação a um amigo, o artista Ivan Cash, que acrescentando uma dose de entusiasmo à ideia se disponibilizou para o ajudar a transformar o protótipo num produto viável que concorre agora por financiamento na plataforma Kickstarter.

A ideia relembra imediatamente o mítico filme de John Carpenter, They Live, em que uns simples óculos transformam anúncios publicitários em ordens de obediência e não é por acaso. Cash admite que o filme de culto foi uma das suas referências para o design da peça final.

Quanto ao Kickstarter que servirá potencialmente pontapé de saída da ideia, o resultado não podia ser mais satisfatório nem demonstrativo da receptividade das pessoas perante a ideia. Cash e Blew já amealharam 85 mil dólares, perto de três vezes mais o dinheiro que tinham pedido inicialmente.

Cada exemplar dos IRL Glasses deverá custar em retalho cerca de 79 dólares. Em reposta a este custo, Cash e Blew garantem já ter recebido alguns e-mails dizendo o óbvio que “mais vale desligar os televisores”; esse feedback, no entanto, não desmotiva os criadores destes óculos que vêm na ideia muito mais que o produto, uma forma de incentivar o debate sobre o tempo que passamos de olhos postos em ecrãs.