Serafim Mendes criou pósteres noutra dimensão que tu estás convidado a descobrir

Designer e ilustrador do Porto, de apenas 23 anos, parte tudo com um projecto que alia a realidade aumentada ao design gráfico, explorando o 3D como meio de comunicação.

A tecnologia e o mundo artístico podem estar de mãos dadas, sendo a criatividade o elemento-chave na conjugação dos dois. O mais recente trabalho de Serafim Mendes, designer gráfico do Porto de apenas 23 anos, é exemplo dessa fusão. Serafim criou um conjunto de 15 pósteres que ganham vida tridimensional se apontares a câmara do teu smartphone, usando uma app (disponível para iOS e Android) que o próprio desenvolveu.

O projecto – que alia a realidade aumentada ao design gráfico, explorando o 3D – recebeu a designação de “Post-print” e vai estar em exposição no número 83A da Rua Adolfo Casais Monteiro, no Porto. “Em 2016, tive de escolher o tema do meu projecto final e tinha a certeza que queria envolver 3D e tipografia”, partilha em comunicado Serafim Mendes, referindo-se à sua tese final de mestrado em Design de Comunicação da ESAD Matosinhos.

“Com a realidade aumentada, consegui unir o melhor destes dois mundos, ou seja, manter-me no meio digital, mas permitir às pessoas visualizar o conteúdo como se ele existisse no mundo real. Também me agradou a ideia de aliar um objecto impresso – analógico – a uma componente completamente digital”, acrescenta o jovem artista.

O conteúdo criado pelo designer do Porto, ao longo da sua tese de mestrado, será exibido a 26 de Outubro, entre as 16 e as 21 horas, numa instalação de luz desenhada e construída pelo estúdio Mecha, que abre as portas do seu novo espaço, pela primeira vez, especialmente para receber o evento.  “O nosso estúdio não é uma galeria, por isso, queríamos divergir da ideia de “arte na parede” e trazer um pouco da nossa identidade à exposição”, explica Pedro Galego, fundador do estúdio Mecha. “Para potenciar a interação com a realidade aumentada, criámos uma dimensão física, um lado 3D no mundo real. O resultado é um conjunto de peças suspensas e iluminadas, a partir das quais as animações ganham vida, como se estivessem escondidas dentro dos objectos físicos.”

As construções gráficas passam a três dimensões em smartphones e tablets, utilizando a aplicação Post-print, desenvolvida por Serafim e disponível para download aqui. “Nestes cartazes há uma segunda camada de informação que só é perceptível através da aplicação, o que permite criar uma narrativa única em cada objecto. Há elementos que só conseguimos ver de certo ângulo, e que por vezes até estão escondidos ‘dentro’ do cartaz”, conta o autor do Post-print.

“Muitas vezes, os designers têm receio de avançar com este tipo de projectos, devido à barreira técnica. Mas eu sempre fui muito auto-didacta e com a internet e comunidades online é possível aprender, investindo o tempo suficiente. Sempre que as novas tecnologias ajudarem a comunicar o que queremos, devemos tirar proveito disso”, remata.

A apresentação do projecto Post-print enquadra-se numa das vertentes mais importantes do estúdio Mecha – a aposta no potencial da intercepção entre arte e tecnologia. “Um dos nossos objetivos é descobrir e divulgar arte digital inspiradora, de forma a promover uma comunidade criativa na cidade, que, como nós, vibre com novas linguagens gráficas e novas formas de comunicar visualmente”, avança Pedro Galego. “Para nós, o Serafim representa um ponto de contacto entre dois pontos fortes da cultura criativa do Porto: a qualidade e experimentação no design gráfico e a ligação crua à tecnologia e inovação DIY. Dá pistas para o futuro do design partindo daquilo que já nos representa bem.”

Localizado em pleno bairro das artes do Porto, o novo estúdio Mecha vai juntar no mesmo espaço uma área de escritório, uma oficina/laboratório, um espaço de exposição e uma montra de experiências disruptivas. O evento oficial de apresentação está prometido, mas ainda não tem data marcada, conta o fundador da Mecha, adiantando que será “um dia para dar asas ao nosso lado mais geek, com vídeo jogos, música, instalações interactivas, realidade virtual e muita arte digital”.

A exposição de Serafim Mendes vai estar no Mecha apenas no dia 26. Contudo, caso não tenhas oportunidade de ir (e mesmo que vás), podes experimentar a tridimensionalidade do seu trabalho descarregando a aplicação e apontando-a para as imagens deste artigo. Em alternativa, podes explorar o Instagram do projecto. A aplicação tem uma funcionalidade que te permite gravar um vídeo da experiência de realidade aumentada para que possas partilhá-la com os teus amigos.