20 anos de Boom num documentário que podes ver online

Para além do vídeo, o trabalho de pesquisa e interpretação da história do Boom deu ainda origem a um livro, Boom Festival 20 Years: A Visual and Oral History.

Foto de Jakob Kolar/DR

Se há festival que apesar do passar do tempo vai mantendo uma aura especial, esse festival é o Boom, há já 20 anos. Um misto de diferenciação, secretismo e uma pitada de excentricidade intencional, tornam-no num evento distinto dos restantes e sem grande historial de cedência à moda. Quem foi quer voltar e quem não foi quer perceber o que lá se passa para que toda a gente fique em transe sempre que fala do festival. E agora pode fazê-lo em formato audiovisual.

Boom Festival 20 Anos é um documentário de mais de uma hora que reúne 12 terabytes de material audiovisual das 11 edições do festival: desde que começou como uma festa de amigos em 1997, entre Setúbal e Alcácer, até à última das edições que decorreu no ano passado no seu local sagrado – Idanha-a-Nova.

 O documentário Boom Festival 20 Anos resume não só a história raramente contada do evento, como de todos os projectos que emergiram da sua evolução ao longo do tempo. Os bastidores, a equipa, as dificuldades da organização de um festival desta dimensão ressaltam das entrevistas a 34 participantes e (principalmente) a membros das equipas que, ao longo de 20 anos, construíram o Boom Festival – o evento bienal de cultura independente que, desde 1997, se realiza na lua cheia de Julho ou Agosto, e que é uma referência internacional.

Para além do vídeo, o trabalho de pesquisa e interpretação da história do Boom deu ainda origem a um livro, Boom Festival 20 Years: A Visual and Oral History, que pode ser adquirido através de e-mail por 60 euros, contendo mais de 500 fotografias e 350 páginas sobre o festival que foi considerado pelo The Guardian, em 2016, como um dos 10 melhores da Europa e pela Rolling Stone como um 7 dos mais transformacionais do mundo.

Nas edições, audiovisual e literária, reúnem-se duas décadas de histórica nas suas mais diversas expressões. Desde uma retrospectiva da evolução gráfica e visual do festival e da sub-cultura em que este se insere, até testemunhos na primeira de mais de 130 pessoas envolvidos de algum modo nos 20 anos de Boom.