O primeiro robô a apresentar um telejornal já entrou ao serviço na China

A vantagem é que este pivô poderá estar em linha durante 24 horas durante 365 dias por ano.

Numa altura em que em Portugal temos a Sophia como protagonista de publicidade e assistimos continuamente a avanços – uns mais que outros – da chamada inteligência artificial, sabia-se que este dia não demoraria a chegar. Esta semana, a agência noticiosa chinesa Xinhua revelou o seu novo membro do staff: uma versão robótica de um apresentador real, Qiu Hao. Aliás, não um, mas dois: Qiu Hao e Zhang Hao, a versão chinesa e inglesa, respectivamente.

O trabalho foi feito pela própria estação em cooperação com a tecnológica local, Sougou, e resulta do processamento de imagens reais. É que os robôs recém-apresentados são uma cópias praticamente indistinguíveis dos pivôs do canal, algo que permitiu criar uma grande base de dados de expressões, gestos e outros detalhes para alimentar e aperfeiçoar o comportamento do robô – de modo a não parecer uma simples máquina.

A vantagem apresentada pelo canal estatal chinês é que este pivô poderá estar em linha durante 24 horas durante 365 dias por ano e, para além disso, ser copiado infinitamente, podendo estar em múltiplos cenários – digitais – em simultâneo.

As vantagens propriamente ditas em ter um robô a apresentar um telejornal 24/7 durante todos os dias do ano continuam a ser discutíveis, mas para o canal é sobretudo uma forma de testar novas experiências de que a indústria media irá carecer nos próximos tempos, pelo que o projecto agora apresentado será continuamente melhorado.