A verdade sobre os algoritmos: representam meras opiniões

Vale pelo conteúdo, vale pela forma.

Este artigo é gratuito como todos os artigos no Shifter.
Se consideras apoiar o nosso trabalho, contribui aqui.

É um vídeo curto onde a animação desempenha o papel principal e, às tantas, até nos distrai da ideia do video. É por tudo isto que vale a pena ver e rever o trabalho do Nice Shit Studio (de Barcelona) para a Royal Society of Arts, Manufactures and Commerce.

Num vídeo de pouco mais de dois minutos, o estúdio de ilustração e animação espanhol deu forma às ideias disruptivas da cientista de dados Cathy O’Neil. Cathy revela no vídeo a sua surpresa pela forma como a sociedade assimilou o conceito de algoritmos como se fossem factos objectivos, quando, na sua opinião, são meras opiniões envolvidos em matemática complexa.

Depois dessa ideia central, Cathy faz uma analogia com a preparação do jantar em cada dia para parametrizar o que é um algoritmo: no fundo, um mecanismo de gestão de informação (os ingredientes) com um objectivo definido por quem o programa (quem cozinha) — e que, neste caso, define o poder (decide que tipo de jantar é).

 

Cathy O’Neil é peremptória, dizendo que um algoritmo não faz as coisas serem objectivas; por outro lado, faz as coisas funcionarem de acordo com o definido pelo seu criador. Uma ideia que podemos extrapolar para o nosso dia-a-dia e nos deixa a pensar sobre o que significam os nossos feeds e como a sua curadoria é pouco objectiva.

Para quem se interessa pela animação, para além do seu conteúdo e do lado visível, o Nice Shit Studio disponibilizou no seu Behance algumas imagens do making of do projecto que dão uma ideia de como foi criar esta animação.

Investimos diariamente em artigos como este.
Precisamos do teu investimento para poder continuar.