Como aproveitar o Web Summit sem bilhete

São esperadas 70 mil pessoas entre hoje e quinta-feira no Altice Arena e na FIL. Mesmo sem bilhete, podes aproveitar a edição de 2018 do Web Summit.

Foto de Sam Barnes/Web Summit via Flickr

Durante o Web Summit, Lisboa não é só o Web Summit. Mas na semana da “maior conferência de empreendedorismo, tecnologia e inovação da Europa”, a capital portuguesa mexe-se de outra forma. Como habitual, há diversos eventos paralelos ao Web Summit e acessíveis a quem não tem bilhete. Mas quem não vai pode também assistir a uma grande parte das conferências através de livestreaming. Explicamos melhor neste artigo.

Depois de se ter mudado para Lisboa em 2016, o Web Summit ia ficar por cá até pelo menos este ano, mas um “grande plano” da Câmara Municipal para aumentar o espaço da conferência viria a resolver um dos principais problemas da organização – o da falta de espaço – e a convencê-la a assinar um acordo por 10 anos. Lisboa vai, assim, ter o Web Summit até 2022 e nesta terceira edição em terras lusas são vários os nomes que recheiam o cartaz. Destacamos os cinco oradores que mais nos puxam:

  • Tim Berners-Lee criou a World Wide Web em 1986 e mais recentemente criou uma fundação para que todos possam ter acesso a ela. São raras as vezes em que Tim Berners-Lee fala em conferências e irá fazê-lo na abertura deste Web Summit. Será já esta segunda pelas 18h40;
  • Lisa Jackson pisou o palco no evento de apresentação dos novos iPhone XS para falar das políticas ambientais da empresa. Lisa Jackson é vice-presidente da Apple para Ambiente, Políticas e Iniciativas Sociais e irá marcar presença na abertura deste Web Summit, logo a seguir a Tim Berners-Lee, às 19h00;
  • Christopher Wylie foi o ex-funcionário da Cambridge Analytica que, no início deste ano, denunciou o escândalo que abalou o império de Mark Zuckerberg. Vai falar na terça, dia 6, às 14 horas no palco principal;
  • em 2007, Emmett Shear lançava com Justin Kan a Justin.tv, uma plataforma de vídeo em directo, cuja secção de gaming se tornou tão popular que os dois decidiram separá-la como Twitch. Adquirido mais tarde pela Amazon, o Twitch tornou-se um sucesso gigantesco com milhões de visualizações por dia e Emmett vem falar dele no dia 7, quarta, em dose dupla: às 11h25 no palco ContentMakers e às 12h15 no palco principal;
  • Ev Williams esteve na fundação do Blogger e do Twitter, tendo chegado a ser CEO deste último. Em 2012 criou o Medium, uma nova plataforma de publicação, e é o projecto que mantém desde então. Vai ser o último orador do Web Summit: quinta, dia 8, às 16h35, no palco principal.

Transmissão em directo no YouTube

O Web Summit decorre de 5 a 7 de Novembro, sendo esperadas cerca de 70 mil pessoas. Lotação esgotada, porque já não existem mais bilhetes à venda. Ao longo dos quatro dias, poderemos ainda escutar:

  • Alexis Ohanian, um dos criadores do Reddit, a falar sobre a Initialized Capital, empresa de capital de risco que co-fundou em 2011;
  • David Pemsel, CEO do The Guardian Media Group, num painel sobre desinformação;
  • Cal Henderson, co-fundador do Slack, a falar sobre o futuro desta start-up, se ainda assim se pode chamar;
  • a Magic Leap, uma das empresas de realidade aumentada/virtual mais excitantes do momento, representada pela sua directora de marketing, Brenda Freeman;
  • o fundador e CEO do Tinder, Sean Rad, num painel com o ex-CEO do Twitter, Dick Costolo, a discutirem o futuro da indústria tecnológica;
  • Brad Smith, o presidente da Microsoft, a falar sobre como a diplomacia cibernética pode não só salvar a internet como o mundo;
  • se em 2017 as atenções foram para a robô Sophia, este ano serão repartidas entre a Sophia e a Han, o novo robô da SingularityNET. Em palco estará novamente o “cientista maluco” Ben Goertzel;
  • o CEO do Pinterest, Ben Silbermann, vai falar sobre pesquisa por imagens;
  • Greg Peters, director de produto do Netflix, para partilhar como a empresa pega optimiza histórias em séries e filmes a uma escala global;
  • Brendan Eich, o co-fundador e CEO da Brave Software, a empresa por detrás do browser alternativo Brave;
  • Palmer Luckey, um dos cinco fundadores da Oculus, e que saiu do Facebook depois de um mal estar interno causado pelo seu apoio a um grupo anti-Clinton, falará sobre realidade aumentada/virtual;
  • Nikolay Storonsky, CEO da Revolut, uma start-up que permite a qualquer pessoa no mundo abrir uma conta bancária digital, quebrando as fronteiras e restrições que a banca tradicionalmente oferece;
  • entre outros.

O Web Summit divide-se entre o Altice Arena, onde estará instalado o palco principal, e os pavilhões da FIL, onde estarão os restantes palcos em rotatividade ao longo dos quatro dia. A programação completa do Web Summit pode ser consultada no site do evento. As principais conferências dos os palcos serão transmitidas em directo no YouTube, onde permanecerão depois disponíveis para todos.

Foto de Harry Murphy/Web Summit via Flickr

Quem tem bilhete poderá visitar os stands das marcas, passear pelos corredores de start-ups e participar com perguntas nas diferentes sessões. O Web Summit é sobretudo um evento de empreendedorismo, onde start-ups de várias partes do planeta se podem encontrar, conhecer-se e, quiçá, desenvolver novos contactos, oportunidades ou investimento.

Eventos paralelos

Além do Web Summit em si, Lisboa enche-se por estes dias com uma série de iniciativas que decorrem em paralelo. Aqui podes encontrar uma lista exaustiva de eventos. Seleccionamos alguns de seguida:

  1. Tech Scene in Portugal: a Landing.jobs preparou um evento para quem esteja a lançar ou instalar um negócio em Portugal e queira compreender as dinâmicas do seu mercado tecnológico, que tem atraído empresas como a Zalando, a Google ou a Volkswagen. Será dia 6, a partir das 18h30, no Hotel Florida. Mais detalhes aqui.
  2. Blockchain Party: o blockchain e as criptomoedas marcam, sem dúvida, as tendências tecnológicas e a Bright Pixel decidiu montar uma festa temática a bordo de um barco que partirá às 17 horas do Parque das Nações até atracar às 20 no Cais do Sodré. É um evento por convite – podes pedir um aqui – no qual te poderás cruzar com pessoas ligadas a este maravilhoso novo mundo.
  3. Connect Lisboa 2018: mesmo ao lado do Web Summit, no Pavilhão do Conhecimento, o Made Of Lisboa vai promover uma mostra sobre os actores e o ecossistema empreendedor da cidade, acompanhada por vinhos e petiscos. É de entrada gratuita e estará aberto entre as 17h30 e até às 18h30. Mais informações disponíveis aqui.
  4. Night Summit: fazem parte da agenda oficial do Web Summit, mas, apesar de os participantes poderem ter descontos em bebidas ou outras regalias, as festas Night Summit são abertas a todos. Segunda, dia 5, e terça, dia 6, é no Cais do Sodré; quarta, dia 7, a festa faz-se no LXFactory; quinta, dia 8, a reunião acontece na Casa Independente.
  5. Pitch Slam: todos os meses, a Startup Lisboa convida start-ups e empreendedores a partilharem, num bar, as suas histórias, ideias de negócio e experiências. Por ocasião do Web Summit, decorrerá um Pitch Slam especial. Será dia 8 às 22 horas no The Couch. É gratuito tanto para quem queira fazer um pitch como para quem queira assistir.

Poderíamos ainda fazer menção ao FinLab Meets, uma conferência dedicada à chamada tecnologia financeira (ou fintech), e ao encontro “Como a Blockchain pode Impactar na Economia de Aplicativos?”, patrocinado pela Aptoide/AppCoins, mas ambos arrancaram esta manhã de segunda-feira. Fica, por isso, apenas uma menção. A decorrer, e com casa cheia, está também o House of Beautiful Business, um encontro onde executivos, poetas, músicos, pensadores e empreendedores se cruzam. O propósito é humanizar os negócios. Fica a menção também.