Se achas que as Europeias não importam (ou que não importas para as Europeias), isto é para ti

"Nós, aqui no Shifter, queremos contribuir para alterar o panorama antes que seja demasiado tarde – e que seja preciso um vídeo do Wuant para que o assunto assuma o seu lugar no debate público."

A menos de seis meses das europeias, a política avança, mas não sai dos bastidores. A pré-campanha para umas das eleições mais importantes no continente europeu desde o final da Segunda Guerra Mundial está ausente das manchetes, das mesas redondas e das novas stories noticiosas. Nós, aqui no Shifter, queremos contribuir para alterar o panorama antes que seja demasiado tarde – e que seja preciso um vídeo do Wuant para que o assunto assuma o seu lugar no debate público.

Depois de alguns artigos que já foram abrindo o jogo quanto às eleições europeias, como aquele que o Jorge escreveu depois das eleições locais na Polónia e estaduais na Alemanha, queremos sistematizar a nossa abordagem a esta temática, para que possas sistematizar também as tuas ideias. Foi assim que nasceu a #EuroTeam Shifter, composta pelo João, pelo Jorge e pela Rita, e reforçada por dois novos elementos, Rui Guilherme Araújo e João Diogo Barbosa, que estarão dedicados a 100%.

Numa série de artigos, falaremos sobre as principais nuances desta eleição, bem como sobre a própria União Europeia, tentando desmistificar e simplificar mecanismos e instituições. Vamos mostrar-vos que o Six Pack tem tanto a ver com músculos abdominais como com macroeconomia e que o Martin Selmayr tanto pode ser um eficiente burocrata como um génio do mal com um plano para federalizar a Europa (ou o universo). Dos processos às pessoas, faremos a ronda informativa completa, para que não te sintas excluído na próxima ronda eleitoral; explicaremos quem é quem e o que é o quê, tanto lá fora, nos principais círculos de poder, como cá dentro, nas listas eleitorais sujeitas à nossa votação. Prometemos o maior dos esforços pela clareza, pela honestidade e por vos poupar do inevitável aborrecimento do “europês”.

Para que seja mais fácil acompanhares a nossa cobertura, traremos o destaque para a página inicial sempre que haja novidades e criaremos um sítio único com todas as publicações. Para além disso, podes, e deves, sempre seguir-nos nos feeds RSS e nas redes sociais, onde, para além da distribuição e divulgação dos artigos, acrescentaremos camadas à nossa análise, seja interactividade, humor ou simplesmente uma nova perspectiva.

Num período de crescente complexidade política, em que as forças polarizantes tornam o discurso exponencialmente menos substancial, remamos contra a maré e aprofundamos a análise e o escrutínio da União Europeia e do posicionamento de Portugal na mesma, sem fugir às grandes questões do debate.

As eleições europeias já estão agendadas – serão no dia 26 de Maio -, pelo que, até lá, haverá tempo para pensar e esclarecer todas as questões que pontuem o debate. Caso tenhas algum interesse particular ou dúvida em relação a este tema não hesites em falar connosco na Comunidade de Facebook ou, em alternativa, através do e-mail comunidade@shifter.pt.

É preciso que não nos esqueçamos que a saúde de uma democracia depende do conhecimento de cada um dos seus participantes acerca das dinâmicas do sistema, e acabar com o preconceito de que as eleições europeias são as menos importantes do calendário. Se houvesse falta de experiência ou avisos, este ano foi rico nesse aspecto, com o RGPD e a reforma dos direitos de autor a servirem como demonstração clara da influência que as iniciativas legislativas europeias exercem sobre os países da União.

Sejas céptico, contra ou a favor da União, é no processo eleitoral que essa posição pode e deve ser reflectida; a única forma possível de o fazer é de modo informado e consciente.

 

A equipa Shifter para as Europeias 2019.