Ornatos Violeta regressam com concertos em Lisboa, Porto e Faro

Manel Cruz, Nuno Prata, Peixe, Kinörm e Elísio Donas vão voltar a encontrar-se em três festivais: NOS Alive, MEO Marés Vivas e Festival F.

Foto de Adriana Oliveira/DR

Foi em 2012 que os Ornatos Violeta encherem o anfiteatro natural de Paredes de Coura e, mais tarde, os Coliseus do Porto e de Lisboa. Sete anos depois, e para comemorar duas décadas desde O Monstro Precisa de Amigos, a banda mítica de Manel Cruz volta aos concertos em três festivais portugueses.

NOS Alive (Lisboa), dia 11 de Julho. MEO Marés Vivas (Porto), dia 20 de Julho. Festival F (Faro), dia 6 de Setembro. São estas as três datas (para já?) anunciadas. Numa publicação no seu Facebook, a banda que se despediu mas nunca se despediu verdadeiramente fala num “curto regresso aos concertos, para a interpretação integral da sua obra seminal”.

Editado a 22 de Novembro de 1999, O Monstro Precisa de Amigos foi o segundo e último álbum de originais dos Ornatos Violeta, tendo superado as expectativas criadas pelo disco de estreia, Cão!. O disco confirmou o talento de Manel Cruz (voz), Nuno Prata (baixo), Peixe (guitarra), Kinörm (bateria) e Elísio Donas (teclados) na composição de canções intemporais que, ano após ano, continuam a ser descobertas, recuperadas ou interpretadas  pelas gerações mais novas. É o caso de “Capitão Romance” – que conta com o convidado especial Gordon Gano, dos Violent Femmes, uma das maiores referências dos Ornatos Violeta, a cantar em português –, “Chaga”, “Dia Mau” ou “Ouvi Dizer” — com a participação especial e inolvidável de Vítor Espadinha. Quatro verdadeiros tesouros do cancioneiro nacional.

Produzido por Mário Barreiros, O Monstro Precisa de Amigos foi o habitual “difícil segundo disco”, que acabaria por se revelar o magnum opus da banda, quer a nível comercial, atingindo a marca de Platina quer, sobretudo, na recepção pelos fãs e crítica especializada, com a Blitz a considerá-lo o terceiro Melhor Álbum Português editado nos anos 90 e um dos 25 melhores álbuns nacionais editados entre 1960 e 2000.

Formados no Porto em 1991, os Ornatos Violeta estiveram em actividade perto de uma década, durante a qual conquistaram o estatuto de banda de culto, graças aos dois álbuns editados e às suas intensas prestações em concerto.

Em 2002, anunciaram a separação, regressando em 2012 para a celebração dos 20 anos da sua formação, com oito concertos especiais. Em 2019 voltam, para comemorar mais um marco, porque, 20 anos depois, “O Monstro (ainda) Precisa de Amigos”.