Ryan: o pequeno youtuber que faz dinheiro à grande

Ryan, com apenas 7 anos, e os pais criaram um pequeno império no YouTube de 22 milhões de dólares.

O canal chama-se Ryan ToysReview e pertence ao pequeno Ryan, um menino norte-americano de apenas 7 anos, à mãe e ao pai. Como tantos outros miúdos, Ryan adora brinquedos mas ao contrário da maioria mostra-os no YouTube para uma audiência gigante.

Ryan e os pais lançaram o canal em Março de 2015 e, desde então, acumulam um total de 26 mil milhões de visualizações e 17,4 milhões de subscritores. O segundo canal, Ryan’s Family Review, foi lançado em Novembro de 2016 e tem mais de 3,5 mil milhões de visualizações e 3 milhões de subscritores. Segundo estimativas da Forbes, valeram a Ryan e à família 22 milhões de dólares de receita nos 12 meses anteriores a Junho de 2018; Ryan foi o youtuber mais bem pago no último ano.

“Entretenho e sou engraçado”, disse Ryan numa entrevista recente à NBC. A Forbes diz que 21 milhões da receita feita com os dois canais resultaram de publicidade pré-roll nos vídeos e um milhão de conteúdo patrocinado, isto é, de vídeos originais pagos por marcas.

Ryan ToysReview começou como um canal em que Ryan desembrulhava brinquedos à frente de uma câmara enquanto dava a sua opinião, seguindo a tendência de unboxing que existe no YouTube para produtos de tecnologia e não só. Contudo, o canal evoluiu para outros conteúdos; há pequenos desenhos animados, experiências científicas, vídeos educativos… Os pais de Ryan são presença activa tanto no canal principal como no secundário, ajudando o filho na produção dos vídeos, que costumam ter entre 5 e 10 minutos, existindo alguns mais longos.

A popularidade de Ryan no YouTube já lhe valeu uma linha de brinquedos própria, baptizada Ryan’s World e à venda desde o Verão passado na cadeia norte-americana Walmart. Ryan e os pais vão também ter séries nos serviços de streaming Hulu e Amazon Prime Video, conforme anunciado em Outubro. Estas plataformas têm vindo a apostar em conteúdos infantis, pois a atenção das novas gerações está cada vez mais virada para a internet em vez da televisão tradicional. Prova disso é a aplicação YouTube Kids, que tem mais de 11 milhões de visualizações todas as semanas e um catálogo de vídeos “seguros para crianças”.

Segundo a Forbes, parte do dinheiro que é feito com os canais de YouTube de Ryan – 15% – é guardado numa conta bancária até o pequeno rapaz chegar à maioridade. Outra parte é os custos com agenciamento e produção.