No dia 26 de Maio, votas? Fomos saber mais sobre a campanha Destavezeuvoto.eu

Para perceber um pouco mais sobre a campanha, fizemos algumas perguntas à gestora da campanha em Portugal, Bárbara Pinto Leite, que é também Relações Públicas do Parlamento Europeu.

Esquece tudo o que já leste sobre vencedores das eleições europeias em 2014. O verdadeiro vencedor em toda a europa foi… a abstenção. Dos 28 países que foram a votos, a abstenção foi acima dos 50% em 20 – incluindo em Portugal, onde rondou os 67%. Para combater este fenómeno, a União Europeia decidiu lançar a sua própria campanha institucional de apelo ao voto, chamada destavezeuvoto.eu.

Para perceber um pouco mais sobre a campanha, fizemos algumas perguntas à gestora da campanha em Portugal, Bárbara Pinto Leite, que é também Relações Públicas do Parlamento Europeu.

EuroTeam (EURO): Como surgiu a campanha e qual o seu objetivo?

Bárbara Pinto Leite (BPL): Esta campanha institucional é inovadora, pois foi projetada pelas instituições europeias e não por uma empresa publicitária. Ela é radical na medida em que, pela primeira vez, assenta numa abordagem descentralizada que implica o envolvimento dos cidadãos no combate à abstenção e na motivação de familiares e amigos a votar nas eleições europeias, que ocorrem, na Europa, de 23 a 26 de maio, em Portugal no dia 26 (#EE2019).

Tendo em conta os resultados das últimas eleições europeias (2014), que evidenciaram níveis de abstenção preocupantes, era urgente mudar o paradigma em que as últimas campanhas foram realizadas. Por este motivo, a estratégia consistiu em entregar a conceção da campanha ao Parlamento Europeu. Foram preparadas equipas exclusivamente dedicadas a este desafio e contratados reforços, como é o meu caso, de modo a avançar com uma campanha ambiciosa.

A grande aposta está a decorrer no espaço digital. A plataforma destavezeuvoto.eu foi lançada em junho, durante o Evento Europeu da Juventude, em Estrasburgo, e tem como principal objetivo aumentar a sensibilização dos cidadãos para a democracia parlamentar europeia e para a importância do voto, segundo o mote: “Ter esperança num futuro melhor não chega. Desta vez, temos de assumir as nossas responsabilidades e escolher o que queremos para o nosso futuro”. O que está a ser comunicado aos europeus é que não basta votar, é essencial mobilizar nesse sentido as suas famílias, os seus amigos, os seus grupos e as suas comunidades.

Sublinho que é uma plataforma digital apartidária, disponível em 24 línguas, que agrega dezenas de milhares de voluntários em todos os Estados-Membros, que se inscreveram e estão empenhados em incentivar mais pessoas a votar nas #EE2019.

EURO: Estão satisfeitos com os resultados, a nível nacional e a nível europeu?

BPL: Sim, muito satisfeitos. O arranque foi suave, mas a campanha está francamente em crescendo: por exemplo, de 17 de dezembro a 8 de janeiro crescemos 32% em Portugal e 35,5% em toda a Europa.

Em Portugal começamos com o pé direito, pois foi um jovem português, o Gonçalo Gomes, quem em dois meses incentivou mais cidadãos europeus a registarem-se na plataforma destavezeuvoto.eu. Continua, ainda hoje, a ser o multiplicador de opinião mais bem-sucedido a nível europeu. Conseguiu persuadir 559 pessoas a juntarem-se ao movimento que, por sua vez, persuadiram outras a fazê-lo.

[nota: também fomos falar com o Gonçalo, numa espécie de parte 2 desta peça. Divulgamos os resultados dentro de alguns dias]

EURO: Que ferramentas utilizam normalmente para chegar às pessoas?

BPL: Essencialmente as nossas contas nas redes sociais Facebook, Twitter e Instagram, pontualmente com promoção paga ao nível europeu e nacional.

Fora da esfera digital, temos colaborado com os nossos parceiros, nomeadamente com os Centros de Informação Europe Direct, ou seja, empenhamo-nos em que a plataforma tenha a maior visibilidade possível em todos os eventos em que participamos. Já reunimos com voluntários da campanha em vários pontos no país, no Porto, em Coimbra e em Lisboa, e temos outros eventos a ser preparados. Neste momento, estamos a apoiar as ações dos nossos voluntários, seja com o envio de material de apoio, com a presença em ações de sensibilização, divulgação dos grupos no Facebook, blogues, jornais digitais, criados pelos voluntários, etc.

Em paralelo, organizamos atividades mais convencionais tais como debates e seminários temáticos.

EURO: Quais os países com melhores resultados e quais os menos bons?

BPL: Os resultados à data de 14 de janeiro, revelam que a Roménia, a Bulgária, a Grécia, a Alemanha e a Espanha se destacam a nível de voluntários, enquanto que o Chipre, a Eslovénia, a Eslováquia e a Finlândia apresentam níveis de ativismo voluntário mais baixos.

EURO: Podemos saber quais os números mais recentes, nacional e internacionalmente?

BPL: Em toda a União europeia, são 138 849 os subscritores da plataforma com quem comunicamos numa base semanal. Destes, 14 048 inscreveram-se como voluntários e estão dispostos a fazer alguma ação para incentivar outros cidadãos a participar. Em Portugal, contamos com 7 095 inscritos, dos quais 866 voluntários. Estes dados são de 14 de janeiro. Também é importante sabermos que a nível europeu os temas que mais interessam a quem se inscreveu na plataforma são: oportunidades para os jovens, o nosso planeta, o nosso futuro e os nossos direitos. Portugal partilha os interesses europeus, porém com a diferença de que o tema sobre ‘Os nossos direitos’ se posiciona em segundo lugar.

EURO: Quais os principais motivos que devem levar as pessoas a registar-se na campanha destavezeuvoto.eu?

BPL: Antes de mais, o principal motivo é a afirmação que vão votar nas próximas eleições, ou seja, assumir que vão exercer o seu direito de voto. A plataforma é a rampa de lançamento para darmos rostos e vozes à campanha institucional e colocar sob os holofotes o que a Europa traz de bom para o nosso quotidiano. E, para quem ainda não sabe, temos a página www.o-que-a-europa-faz-por-mim.eu, que tem toda a informação e evidências sobre o impacto da UE nas nossas vidas e regiões. Cada um de nós sabe e sente, por motivos distintos, porque é que a Europa é algo positivo para si, para o seu dia-a-dia, para a sua comunidade, para o seu país. É preciso que várias vozes se elevem para fazer passar a mensagem de que só conseguiremos um futuro melhor se fizermos ouvir a nossa voz, se encontrarmos em conjunto soluções para problemas que são comuns, se votarmos a 26 de maio. E podem ser muito criativos: fazer um vídeo, tirar uma fotografia, escrever um texto, criar um grupo, organizar um debate ou até um simples jantar com os amigos. Todos conhecemos pessoas no nosso círculo familiar ou de amigos que não votaram em 2014. Apenas 33.7% dos portugueses votaram, por isso cada um de nós conhece muitas pessoas que não o fizeram. Para haver uma mudança na atitude abstencionista, temos de mobilizar aqueles que acreditam na Europa, que estão conscientes do que mudou para melhor com a pertença de Portugal à UE, mas na altura de ir votar não o fazem, frequentemente por motivos menores, fúteis. As pessoas precisam de tomar consciência de que efetivamente o voto faz a diferença, e muita! Provavelmente muitas pessoas não sabem que cerca de 41% dos eleitores com mais de 55 votaram em 2014 mas apenas cerca de 18% de jovens, com idade entre os 18 e os 24 anos, o fizeram. Ora os interesses de uma faixa etária são muito diferentes dos de outra, veja-se o que aconteceu no Reino Unido…

EURO: Que iniciativas têm previstas para os próximos meses?

BPL: Para os próximos meses temos planeadas mais algumas reuniões com os voluntários e centraremos os nossos esforços no apoio a ações desenvolvidas por eles. Estamos sempre disponíveis para receber propostas pelo endereço eletrónico contacto-pt@destavezeuvoto.eu.

E tu? Já sabes o que vais fazer no dia 26 de maio?