Lil Pump a discursar em Harvard? Ou então não: está só a promover o seu álbum

Um exemplo vindo do mundo da arte e da comunicação que nos mostra claramente como o sistema informativo está débil e permeável a qualquer coisa que seja dita por vozes mais mediáticas.

Foto via Lil Pump

A mensagem correu como um dos virais mais rápidos dos últimos tempos; “Lil Pump vai discursar em Harvard” era uma oração que soava de tal modo estranha, que nas redes sociais houve quem quisesse partilhar a sua reacção. Uns incrédulos por ver o tão icónico quanto polémico cantor escolhido para discursar num momento tão solene, outros com expressões do género “estão a ver?” e elogios ao rapper que por linhas tortas lá chegara, aparentemente, a um ponto alto de reconhecimento.

A notícia foi avançada pela sua editora, a Warner Bros, num comunicado enviado às redacções de várias revistas internacionais, que, pelo efeito surpresa, se apressaram a publicá-lo. Na nota, às declarações da editora juntavam-se declarações do rapper, que afirmava “não precisar de terminar o curso em Harvard para ser convidado a discursar”, conferindo ainda mais credibilidade à história – noutros momentos o rapper já havia afirmado ter abandonado o curso em Harvard para “salvar o rap”, o que dava uma certa consistência a toda a história.

Só quando tudo parecia estar mais ou menos confirmado e a notícia se replicava por todos os media é que as informações factuais começaram a vir ao de cima. Contactado pela revista Complex, o departamento de comunicação da Universidade de Harvard foi assertivo e peremptório dizendo que “tal como anunciado anteriormente, Angela Merkel é a convidada a discursar em 2019”. Perante esta afirmação, restava a possibilidade de Lil Pump ter um papel de menor destaque na mesma cerimónia, mas a história revelou toda a sua significação assim que se estabeleceu relação com o momento da sua carreira.

“I dropped out, so they called me like they called the guy that made Windows and PCs and sh*t before I was born. You just need a cap and gown, which I got. When I found out, I was happy to give everyone a lesson. I’m all about the youth. Yes, they are the future. This is a preview of my speech, one word: ESSKEETIT!!!!!!”

– excerto do comunicado enviado às redacções

Lil Pump está o promover o seu novo álbum chamado Harverd Dropout e, pelas informações que são possíveis recolher neste momento, tudo não terá passado de uma campanha de marketing de gosto, no mínimo, duvidoso mas de resultados garantidos. A notícia de que Pump discursará em Harvard continua a ser predominante nas redes sociais e mesmo nas pesquisas no Google o desmentido – ou esclarecimento – parece ficar para segundo plano.

Na era das fake news e da pós-verdade, anunciar Lil Pump como o jovem mais novo de sempre a discursar em Harvard é uma escolha arriscada e uma informação falsa dada deliberadamente, que pode manchar a credibilidade da editora e do próprio artista. Para muitos dos que festejaram o momento, se ele é verdade ou não até pode ser secundário e o desmentido pode nunca chegar. Um exemplo vindo do mundo da arte e da comunicação que nos mostra claramente como o sistema informativo está débil e permeável a qualquer coisa que seja dita por vozes mais mediáticas.