Nuzzel e Scroll juntos por uma web mais saudável

“Estamos a investir para manter [o Nuzzel] como uma entidade independente, e a nossa primeira prioridade é não estragá-lo, pelo que não esperem nenhuma grande mudança”, disse Tony Haile, CEO do Scroll.

São dois serviços que merecem ser divulgados e agora passarão a operar juntos. O Nuzzel analisa os teus feeds de Twitter, Facebook e LinkedIn, e oferece-te um apanhado das notícias que as tuas conexões digitais mais estão a partilhar. Em suma, ajuda-te a estar em cima da actualidade que está a gerar burburinho nas tuas redes sociais, poupando-te à experiência de todo o scroll down; além disso, dispõe de um feed dos artigos mais populares na tua rede, e podes ainda ver do que é que os ‘amigos dos teus amigos’ estão a falar ou notícias que te podem ter escapado.

Exemplo da interface desktop do Nuzzel (screenshot via Shifter)

Já o Scroll é um serviço de subscrição igualmente ligado ao mundo do jornalismo digital e que te permite ler notícias online sem anúncios. Funciona em telemóveis iOS e Android (mesmo quando estás a ler através do Twitter ou do Reddit), mas também no browser da tua preferência no computador; por agora, só um conjunto de publicações – Vox, The Verge, Gizmodo, BuzzFeed, The Atlantic… – suporta o Scroll. A ideia é poderes aproveitar melhor a experiência de leitura e deixares que o Scroll trate do resto, neste caso, de recompensar os órgãos de comunicação social.

O Scroll num GIF (via Scroll)

Enquanto o Nuzzel está disponível para qualquer utilizador, o Scroll é só por convite. Mas agora perguntas tu, leitor: o que é que o Nuzzel tem a ver com o Scroll além de ambos estarem relacionados com notícias online? É que a empresa que desenvolve o Scroll anunciou a aquisição da empresa gestora do Nuzzel.

O negócio não vai ditar o fim de um ou de outro serviço; em vez disso, o Nuzzel deixará de ter publicidade, uma vez que o Scroll assenta numa filosofia ‘livre de anúncios’. “Estamos a investir para manter [o Nuzzel] como uma entidade independente, e a nossa primeira prioridade é não estragá-lo, pelo que não esperem nenhuma grande mudança”, escreveu Tony Haile, CEO do Scroll, num post no blogue do Nuzzel.

Para já, existirão duas mudanças. A infra-estrutura do Nuzzel vai ser migrada para a do Scroll, assente no Amazon Web Services (AWS), e o serviço do Nuzzel que permite a clientes profissionais acompanhar as tendências da sua indústria será separado e transformado numa ‘coisa’ à parte. O director executivo do Scroll diz que pretende usar o Nuzzel como “uma cozinha de teste para ver que modelos funcionam para curadores assim como para criadores de conteúdo”, pois, além de uma imprensa livre, esses agentes também são importantes para um “ecossistema saudável de informação”.

Tony Haile elogia o trabalho desenvolvido por Jonathan Abrams, criador do Nuzzel, e pela sua equipa, que criaram uma plataforma que filtra as nossas redes sociais e nos mostra o mais importante, “economizando-nos tempo e stress” e evitando que tenhamos de “entrar nas profundezas às vezes obscuras” desse tipo de plataformas.