Skills Radio Show: 5 horas de música seguida

A mistura heterogénea enriqueceu a versatilidade da experiência do público e tornou o evento mais dinâmico. Não tivemos cinco horas a ouvir o mesmo estilo, nem o mesmo rapper, em vez disso os grupos subiam à vez para fazer um pequeno showcase do seu talento.

Quem diz que a rádio está morta é porque ainda percebeu o verdadeiro propósito e, por isso, não lhe dá o devido valor. Em sentido inverso, programas de rádio reinventam-se todos os dias, renovando o interesse e a magia das ondas AM/FM, expandido-se muito para além do que formato estanque que muitos auguram matar, invadido o campo das relações pessoais e servindo com base a verdadeiras comunidades

Foi isso que observámos de perto no programa de rádio local Quinta Avenida, que tivemos hipótese de entrevistar, e foi isso que, num contexto e linguagem completamente diferente testemunhámos na passada sexta-feira no Hard Club, no evento de celebração do 3º aniversário do programa da Rádio Nova Era, encabeçado pelo lendário MC Mundo Segundo.

Para celebrar o triénio, uma marca já relevante no mundo audiovisual, Mundo Segundo fez uma autêntica selecção que convidou para actuar num formato que em quase tudo nos fez recordar o melhor da experiência radiofónica. Em resumo, foram cerca cinco horas de músicas seguidas, sem pausas para boletins informativos ou publicidade.

Os convidados vinham de todos os lados, especialmente da zona norte, mas a sua pertença à comunidade hip hop era o traçado mais vincado. Com rimas mais simples em beats clássicos ou rasgos mais fora, já a fugir para o trap ou para o R&B, houve espaço para tudo – mesmo para as falhas –, criado pelo sentido de união prevalecente neste sub-género que por muito que cresça se manterá sempre marginal na sua essência.

A parecença com o formato rádio foi mais do que uma opção, uma condição sem a qual a festa não teria sido possível de resumir em tempo útil. Os MC’s convidados eram tantos que a necessidade de serem sintéticos era imperativa, mesmo em casos em que o público mostrava querer ouvir um pouco mais. Desde os nomes emergentes de que nunca tínhamos ouvido falar, até ao trio dilemático, passaram pelo palco do Hard Club mais de uma dezena de artistas entre rappers e DJ’s.

A mistura heterogénea enriqueceu a versatilidade da experiência do público e tornou o evento mais dinâmico. Não tivemos cinco horas a ouvir o mesmo estilo, nem o mesmo rapper, em vez disso os grupos subiam à vez para fazer um pequeno showcase do seu talento. A forma como nos marcaram na memória em tempos de actuação semelhantes e nas mesmas condições variavam portanto pela intensidade posta em cada faixa e, obviamente, pelos temas que iam interpretado.

Com DJ Guze como anfitrião da noite e com a difícil tarefa de entre actuações ir mantendo o público atento, Abyss, Ruca, Mcirilo, Dekor, Able, Omega Crew, Smélio, Birro, Enigmacru, Porte, Fuse, Berna, Fuse, Maze e Mundo Segundo foram os nomes que marcaram presença e fizeram a diferença. Uns para apresentar amostras dos seus primeiros projectos, como Ruca, Abyss, Mcirilo ou Smélio, e deixar a promessa de uma carreira futura recheada; outros para relembrar momentos e sons clássicos, como Berna, Fuse, Maze e Mundo; todos juntos fizeram da noite de aniversário um verdadeiro show de variedades rap.

Durante as cinco horas não se esqueceu o pretexto e foi-se passando a mensagem de que há muito que agradecer a projectos como o Skills Radio Show pelo seu autêntico serviço público, que nesta demonstração ao vivo demonstrou todo o seu valor.

Fotos de Shifter