Uma breve história dos videojogos portugueses: da disquete ao CD-ROM

Depois da febre do ZX Spectrum, os programadores portugueses tiveram de se adaptar a uma nova era.

 
O Shifter precisa de dinheiro para sobreviver.
Se achas importante o que fazemos, contribui aqui.

Nos anos 1980, em Portugal, criaram-se centenas de jogos para o ZX Spectrum. A plataforma tornou-se incrivelmente popular e alguns dos jogos nacionais mais emblemáticos nasceram nessa altura. Mas com o virar da década e o aparecimento de máquinas mais interessantes, o Spectrum começou a ficar para trás nas preferências dos programadores.

Como continuava a não existir uma indústria de videojogos portugueses, a imprensa especializada teve um papel muito importante na produção e divulgação dos jogos nacionais, primeiro através da Spooler, anos mais tarde da Mega Score. Mas houve ainda espaço para algumas experiências comerciais, como o Gambys ou o Portugal 1111 e muitos jogos educativos.

Neste vídeo, viajamos até aos anos 1990 para perceber o que foi feito por cá no mundo dos videojogos.

(Nota: este vídeo é da autoria de J.B. Martins e foi produzido para o canal de cinema Cineblog no YouTube, e é aqui partilhado com a devida autorização.)

Se não conseguirmos aumentar o número de patronos, a 2ª edição da revista será a última, e o Shifter como o conheces terminará no final de Dezembro. O teu apoio é fundamental!