Investigadores criam câmara que captura imagens a 45 km de distância

Esta técnica permite capturar imagens mesmo por entre nevoeiro e poluição.

Conseguir capturar luz suficiente numa fotografia a uma longa distância é complicado. E se juntarmos a isto as distorções introduzidas pela atmosfera, tipo a poluição, uma imagem pode mesmo ficar arruinada.

Zheng-Ping Li e colegas da Universidade de Ciência e Tecnologia da China, em Xangai, conseguiram fotografar sujeitos até 45 km de distancia, mesmo num ambiente urbano com muita poluição.

A equipa montou a nova câmara no 20º andar de um prédio na Ilha Chongming, em Xangai, e apontou para o Edifício de Aviação Civil de Pudong, do outro lado do rio, a cerca de 45 km de distância. Produziu imagens com uma resolução espacial de cerca de 60 cm, o que seria impossível com os meios tradicionais.

A técnica utiliza detetores de fotões combinados com um algoritmo de criação de imagens exclusivo para obter imagens de resolução super-alta. Esta técnica ilumina o sujeito com luz laser e cria uma imagem a partir da luz refletida. Desta forma, qualquer fotão indesejado pode ser ignorado, reduzindo o ruído de outras partes do ambiente.

Os investigadores enviam e recebem estes fotões através de um telescópio astronómico com abertura de 280 mm. Assim, têm a possibilidade de criar imagens bidimensionais e, alterando os intervalos de disparo, conseguem construir uma imagem em 3D.

A investigação foi publicada na revista científica da Universidade.

(Artigo redigido com o novo AO)