Finalmente há um motor de busca de Creative Commons… ainda não sabes o que isso é?

O novo motor de busca da Creative Commons integra mais de 300 milhões de imagens CC indexadas de 19 fontes diferentes: dos bancos fotográficos Flickr e 500px, aos repositórios criativos Behance, DeviantArt e Thingiverse, passando por instituições culturais como o Rijksmuseum ou a New York Public Library.

A organização sem fins lucrativos Creative Commons (CC), que em 2002 criou um conjunto de licenças públicas com o mesmo nome, lançou um motor de busca para tornar os conteúdos CC mais acessíveis. O novo serviço de pesquisa começou a ser desenvolvido há dois anos e, depois de um período beta, está disponível em search.creativecommons.org.

A plataforma integra mais de 300 milhões de imagens CC indexadas de 19 fontes diferentes: dos bancos fotográficos Flickr e 500px, aos repositórios criativos Behance, DeviantArt e Thingiverse, passando por instituições culturais como o Rijksmuseum ou a New York Public Library. O intuito é alargar o espectro do motor de busca, integrando colecções de CC importantes o como as da Europeana e as da Wikimedia Commons (Wikipédia).

As licenças Creative Commons (CC) determinam que um conteúdo apesar de protegido por direitos autorais pode ser utilizado por qualquer pessoa mediante a política de licenciamento definida pelo seu autor. Dependendo da(s) licença(s) que o autor adopte, os conteúdos em CC podem ser utilizados para fins pessoais, editorais ou comerciais, depender apenas da atribuição de crédito ao autor original e até, inclusive, ser modificados.

As licenças CC são universais – consistem num código que qualquer criador de conteúdos, internauta ou algoritmo consegue compreender e que é transversal a plataformas como a Wikipédia ou o Flickr (que costumam ser bons locais para pesquisar e encontrar alguns desses conteúdos CC). Por outro lado, qualquer criador pode licenciar o seu trabalho com uma destas licenças, para isso basta ir ao site e escolher a que lhe parece mais indicada.

Não se pode utilizar fotografias do Shutterstock, da Getty ou de outros bancos do género assim sem mais nem menos. É preciso comprar essas imagens ou adquirir uma licença que geralmente não é barata. Todavia, e felizmente para muitos criadores de conteúdos com orçamentos baixos, existem boas alternativas gratuitas. O Unsplash é um bom exemplo, mas não o único, graças à iniciativa da Creative Commons em 2002 de criar um conjunto de licenças públicas com o mesmo nome.

O motor de busca da Creative Commons só inclui imagens por agora, mas existem planos para integrar outros trabalhos licenciados com CC, como manuais escolares ou áudios. Ao todo, existem cerca de 1,4 mil milhões de conteúdos CC que poderão ser indexados a este serviço de pesquisa.Nos planos estão também uma funcionalidade de pesquisa avançada, a possibilidade de navegar por colecções sem introduzir termos de pesquisa e melhorias na acessibilidade e experiência em dispositivos móveis.

Esse trabalho de continuar a desenvolver e de alargar a plataforma de pesquisa da Creative Commons está dependente do trabalho voluntário de programadores que ajudam a equipa de engenheiros da Creative Commons. Por exemplo, alunos da Google Summer of Code, que começa este mês de Maio, irão dar o seu contributo.