A newsletter que te recomenda séries fixes para ver

Do Netflix ao YouTube, passando pela HBO ou pelo Prime Video, Fábio selecciona todos os meses séries que, no seu entender, valem a pena. São séries que ele vê, outras que lhe foram recomendadas.

Chama-se literalmente Séries Fixes Para Ver e é uma newsletter semanal da autoria do jornalista Fábio André Martins que, como o nome indica, promete ‘separar o trigo do joio’ e oferecer sugestões de conteúdos bons que estejam a passar em streaming ou na televisão tradicional.

É notório que o streaming diversificou a oferta de conteúdos audiovisuais e trouxe novas oportunidades para criadores. As séries disponíveis para consumo deixaram de ser aquelas grandes produções norte-americanas, cujos episódios e temporadas parecem não ter fim. Uma Grey’s Anatomy ou um Big Bang Theory provavelmente já não teriam o o mesmo sucesso nos dias de hoje. O público parece estar mais desperto para narrativas diferenciadas e para géneros que outrora seriam cancelados à primeira temporada.

O Netflix quer ser um espaço para todos os gostos; a sua estratégia assenta em produzir muito na esperança de que alguns conteúdos se tornem mainstream e outros fiquem como produtos de nicho. Mas o modelo de distribuição do Netflix – de distribuição global – permite que mesmo as séries com poucos episódios ou só uma temporada cheguem a milhares de países, o que antes – com critérios de escolha mais selectivos dos canais de televisão, com orçamentos e grelhas limitadas – não acontecia.

Ora isso tem um efeito claro: a oferta é muita e torna-se difícil saber o que é bom e vale a pena ver, e o que é mau e não vale o nosso tempo. A curadoria que antes a televisão fazia pertence agora aos sites de crítica e a newsletters como a de Fábio André Martins, um jovem lisboeta de 25 anos e jornalista de cultura na MAGG, revista do Observador. “Além de o meu trabalho me obrigar a isso, sempre fui um grande consumidor de séries e tento estar sempre a par das novidades. A doença é tal que revejo, religiosamente, Os Sopranos todos os anos com a mesma alegria com que vi pela primeira vez. Gosto de séries, de pensar como elas são feitas e da importância que elas (e a televisão) têm na nossa vida e na nossa cultura.

O segundo número da newsletter

Do Netflix ao YouTube, passando pela HBO ou pelo Prime Video, Fábio selecciona todos os meses séries que, no seu entender, valem a pena. São séries que ele vê, outras que lhe foram recomendadas. “Numa altura em que há cada vez mais conteúdo e estamos cada vez menos disponíveis para dedicar várias horas a uma série, o que é que vale mesmo a pena ver? Foi essa a pergunta a que procurei dar resposta. Fiz uma breve pesquisa e vi que não havia ninguém a fazer nada de semelhante em Portugal”, conta Fábio por e-mail ao Shifter. “Pretendi que a escrita fosse o mais directa possível, sem rodeios, e que não se perdesse muito tempo com informação desnecessária.”

A subscrição é gratuita e dá acesso à newsletter todos os meses na caixa de e-mail, podendo também ser lida online para quem não queira dar os seus dados. Séries Fixes Para Ver responde a uma necessidade evidente de sabermos onde investir o nosso tempo de lazer e é um trabalho do Fábio que, de certeza, muitos terão interesse em acompanhar. “Não quero ver um euro que seja com isto”, confessa Fábio, dizendo que além de ser assinante do Netflix e da HBO, também já subscreveu o Amazon Prime Video “porque muitos dos meus subscritores utilizam o serviço”.

A primeira newsletter foi lançada a 10 de Abril apenas para 126 assinantes; mas já foram 336 pessoas que receberam o segundo número. Neste momento o Séries Fixes Para Ver conta com quase 500 subscritores activos, numa altura em que falta pouco para o terceiro envio (10 de Junho). A taxa de abertura situa-se acima dos 70%, o que é um sinal bastante bom. “O mais incrível é que estes resultados foram consequência de apenas uma publicação no Reddit e o uso constante da hashtag #seriesfixesparaver no Twitter. E tem sido engraçado ver como um projecto destes tem crescido apenas com adesão da comunidade do Twitter.

Fábio conta trazer convidados especiais para a newsletter, para que a comunidade possa também recomendar na primeira pessoa as suas séries de eleição. “Começámos com a Catarina Cabral, directora de marketing do Time Out Market Lisboa, e a ideia é ter uma pessoa por mês a escrever, independentemente da sua área de formação ou trabalho.”