CEO do Telegram em dieta radical para aumentar produtividade e clareza

Pavel Durov escolheu fazer um mês de jejum durante o mês de Junho —consumindo apenas água.

Pavel Durov, criador do Telegram, não é um CEO mediático como Zuckerberg ou Bezos, por isso, raramente é mencionado na imprensa e pouco se sabe sobre a sua vida e as suas estratégias. O pouco que se sabe é o que Durov diz, na primeira pessoa, através do seu canal de Telegram, seguido por apenas 1380 pessoas. Mesmo dispondo deste canal pessoal são raras as vezes que o usa para falar sobre si, usa-o sobretudo para falar sobre actualizações da aplicação ou para enviar recados sobre o governo russo ou o WhatsApp.  Assim foi com surpresa que vimos a última mensagem de Durov que, contra todas as expectativas a última mensagem de Durov, foi sobre… a sua dieta.

Durov começa a mensagem por dizer que é um grande adepto da auto-restrição, como quem o segue há algum tempo já sabe. Nesse sentido, o criador do Vkontakt (o Facebook russo), afirma que está há mais de 15 anos sem beber álcool, cafeína, carne ou fast food e sem tomar qualquer comprimidos, e que como resultado desta dieta regrada teve apenas febre 1 vez durante este período.

Sendo esta a base da sua dieta para atingir mais produtividade e clareza de pensamento, Durov segue parágrafo a parágrafo revelando as novidades que ainda não tinha partilhado online. Durante o ano passado adicionara mais restrições eliminando glúten, lacticínios, ovos e frutose. Já no mês passado acabou por reduzir a sua seleção de alimentos apenas a marisco e peixe fresco, tentando simular aquilo que os nossos antepassados comeriam, numa altura em que a tecnologia para processar comida era rudimentar — Durov lembra que há centenas de anos os povos vivam perto do mar para obterem facilmente água e que peixe grelhado há-de ter sido uma das invenções gastronómicas mais antigas.

“Ao contrário da carne de pecuária ou dos produtos da agricultura que foram introduzidos na nossa dieta mais ou menos recentemente (como há 15 mil anos atrás), peixe selvagem cozinhado em fogo é algo que os nossos ancestrais foram comendo ao longo dos milhões de anos.”

Contudo, as novidades da mensagem não se ficaram por aí. Em boa verdade, era no último parágrafo que se escondia a revelação mais surpreendente. Na sua tentativa de aumentar a produtividade e a clareza de pensamento, Durov escolhera fazer um mês de jejum durante Junho — sendo que à data do envio da mensagem já levava 6 dias sem comer, consumindo apenas água.

A dieta escolhida, altamente radical e desaconselhada por nutricionistas e especialistas em alimentação, é para Durov uma forma de limpar o seu organismo e fazer uma espécie de reset. Mais uma vez, o russo inspira-se nos nossos antepassados para defender a tese que para si criou. Durov lembra que os antepassados dependentes da caça passavam longos períodos sem consumir, pelo que, o nosso corpo pode estar mais preparado para o fazer do que nós possamos pensar, e que é por isso que algumas religiões contempla períodos de privação de alimento.

Ainda assim, Durov mostra estar ciente de que pode perder alguma massa muscular durante o processo, contudo, diz que se esse período fizer com que tenha mais ideias para a sua aplicação de mensagens então tudo valerá a pena.