Uma ferramenta que te transforma numa pintura renascentista

Um projecto de investigação ou um FaceApp 2?

Alguns exemplos criados com o AI Portraits

O FaceApp, a aplicação da moda, da qual te falámos ainda esta semana, recorre a algoritmos de inteligência artificial para dar um ar envelhecido à tua cara, mudar-te o penteado ou mostrar-te como ficarias de olhos azuis. Outra app, que foi especialmente popular há dois-três anos, chamada Prisma, aplicava efeitos artísticos às tuas imagens – podias, por exemplo, tirar uma foto a uma praia e transformá-la numa pintura cubista.

O FaceApp e o Prisma são ambas desenvolvidas por empresas (russas, coincidentemente) e o que os seus algoritmos fazem é pegar nas tuas imagens e aplicar-lhes um filtro por cima que as modifica. Essa é a forma mais vulgar de transformação de fotografias por inteligência artificial, mas um investigador associado ao IBM Watson AI Lab dá um passo em frente: Mauro Martino desenvolveu um sistema de inteligência artificial que consegue desenhar um retrato renascentista teu a partir de uma fotografia que lhe dês.

Em cima: quando os algoritmos modificam uma foto (caso do Prisma); em baixo: quando eles criam uma imagem nova a partir de uma foto-fonte (caso do AI Portraits)

O sistema de Mauro chama-se AI Portraits e pode ser testado nesta página – quando o servidor não está sobrecarregado. A inteligência artificial por detrás do AI Portrait foi treinada através da competição entre dois algoritmos: um deles gera a pintura, enquanto o outro compara o quão próximo esse retrato está da imagem original. Através deste processo de aprendizagem, baseado no que se chama uma ‘rede neural adversa’, o AI Portrait consegue tornar-se um sistema mais inteligente.

Segundo a Fast Company, Mauro Martino, que é professor na Northeastern University, EUA, trabalha no IBM Watson AI Lab, do MIT, e o seu colega, Luca Stornaiuolo, investigador na Universidade Politécnica de Milão, treinaram o AI Portrait com 45 mil retratos de estilo renascentista, em que o sujeito aparece sério; incluíram na amostra alguns retratos mais contemporâneos para o sistema produzir resultados algo surpreendentes.

O site do AI Portraits

No site do AI Portraits, podes fazer o upload de uma fotografia tua e experimentar a ferramenta. Os autores do projecto garantem que armazenam as imagens carregadas nos servidores apenas momentaneamente, sendo eliminadas assim que os algoritmos tenham feito o seu trabalho; dizem também que não usam dados das nossas fotos para qualquer outro propósito que não o de te criar um retrato renascentista. Ou seja, confiando nas palavras de Mauro, o AI Portraits é seguro. Além do mais, este é um trabalho científico, de investigação (mas também o era a aplicação de Aleksandr Kogan que permitiu o caso da Cambridge Analytica, não é verdade?).

Bem, como em tudo e como explicámos no artigo sobre o FaceApp, o melhor é procederes “por tua conta e risco”. Na página do AI Portraits, podes ler mais sobre este projecto e explorar uma galeria de algumas das pinturas renascentistas que os algoritmos produziram.