Desafio global propõe Julho sem plástico. Vamos a isso?

O desafio ‘Plastic Free July’ nasceu há oito anos na Austrália e só em 2018 terá juntado 120 milhões de pessoas de 177 países diferentes.

Triënnale 2018; STUDIOKCA - 'Skyscraper (the Bruges Whale)'
Triënnale 2018; STUDIOKCA - 'Skyscraper (the Bruges Whale)'

A ideia é simples: durante o mês de Julho, diz que não ao plástico de utilização única. O desafio ‘Plastic Free July’ nasceu há oito anos na Austrália, por iniciativa de Rebecca Prince-Ruiz, fundadora da Plastic Free Foundation; realiza-se todos os meses de Julho e só em 2018 terá juntado 120 milhões de pessoas de 177 países diferentes. Estima-se que o desafio tenha evitado o desperdício de cerca de 490 kg de plástico.

O ‘Plastic Free July’ pretende mostrar que parte da solução para o problema do plástico passa por uma escolha individual de rejeitarmos o seu uso. Seja palhinhas, embalagens de ‘take away’, garrafas de água ou sacos de supermercado, o desafio estimula-nos a encontrar alternativas para o chamado plástico de utilização única. É certo que o ‘Plastic Free July’ é um desafio mensal, mas podemos encará-lo como um momento de consciencialização em relação ao plástico que usamos – se calhar sem nos apercebemos –, que nos ajude a fomentar novos hábitos para o ano inteiro.

No site da iniciativa ‘Plastic Free July’ encontras diversas dicas de como reduzir o plástico de utilização única na tua casa, no teu escritório, na tua escola ou até no café ao qual vais todos os dias. Encontras também pósteres e outros materiais que podes descarregar e eventualmente imprimir para ajudar a passar a mensagem.

O desafio ‘Plastic Free July’ deverá tornar-se mais fácil ano após ano, à medida que as empresas vão trocando as suas embalagens de plástico por alternativas de papel e não só. Pelo menos na União Europeia, a mudança de paradigma ao nível empresarial está a ser impulsionada por novas regras comunitárias que contemplam a proibição do plástico de utilização única a partir de 2021; a União Europeia determinou ainda que em 2025 os Estados-membros terão de garantir que 90% das garrafas de plástico são recicladas e que as novas garradas são fabricadas com pelo menos 25% de conteúdo reciclado – em 2030 essa percentagem sobe para 30%.

Estima-se que todos os anos sejam produzidas 300 milhões de toneladas de plástico, sendo pelo menos metade de utilização única. Dada o plástico demorar centenas de anos a decompor-se, há um problema absurdo de poluição causado pelo plástico na Natureza, com consequências para os oceanos e para a vida animal em geral.