Arquitectos propõem recongelar o Ártico para contrariar aquecimento global

A sua ideia envolve um submarino e peças de gelo hexagonais.

Imagem via AKA

Faris Rajak Kotahatuhaha, Denny Lesm Ana Budi e Fiera Alifa ficaram em segundo lugar num concurso internacional, organizado pela Associação de Arquitectos Siameses (ou ASA, na sigla inglesa), com uma ideia basta peculiar: re-congelar o Ártico através de peças de gelo hexagonais, a que chamam de ‘bebés de gelo’, produzidas por uns submarinos especiais.

A ideia visa conter o cada vez mais frequente degelo da massa polar, fruto do aquecimento global, focando-se na prevenção e sem pretenções de ser a solução única para um problema já consumado. Os arquitectos dizem ter-se inspirado na reflorestação de regiões tropicais e subtropicais, processo que ajuda a manter o equilíbrio nessas zonas.

O grupo de arquitectos projectou um submarino de 15 metros de diâmetro capaz de funcionar em todas as condições meteorológicas. Segundo o plano traçado, esse submarino flutuaria normalmente no mar mas afundar-se-ia para recolher água; depois trataria essa água, primeiro através de um processo de dessalinização e posteriormente de congelação. (porque sal e congelar são duas coisas que não conjugam). No espaço de um mês, seria lançada para as águas frias uma estrutura de gelo com a forma hexagonal. O objectivo é o submarino ir repetindo este processo várias vezes e que as peças, graças ao seu formato, se possam encaixar umas nas outras e formar uma grande camada de gelo.

Se quiseres saber mais sobre este projecto, podes fazê-lo aqui.

O detalhe do submarino (imagem via AKA)
O processo de criação das peças de gelo (imagem via AKA)
Ilustração do topo do submarino O detalhe do submarino (imagem via AKA)
O submarino em perfil (imagem via AKA)