Twitter suspende, sem explicação, dezenas de contas de OCS e jornalistas cubanos

Entre os órgãos de comunicação social bloqueados pelo Twitter encontra-se o Cubadebate com 300 mil seguidores, o @Granma_Digital com cerca de 167 mil, entre outras como o @MesaRedondaCuba, @RadioRebelde, @DominioCuba, @CubaPeriodistas, @CanalCaribe.

Segundo um comunicado publicado no jornal cubano Cuba Debate e assinado pela União de Jornalistas de Cuba (Unión de Periodistas de Cuba), desde a tarde de quarta-feira, a rede social Twitter bloqueou ou suspendeu dezenas de contas de media e jornalistas daquele país. O momento, segundo relatam, terá coincidido com a conferência de imprensa promovida pelo Presidente do Conselho de Estado e de Ministros, Miguel Díaz-Canel Bermúdez, e por outros Ministros do seu Governo, em que estes se propunham a fazer um ponto da situação sobre a conjuntura actual do país, mencionando aquilo que consideravam ser um apertar do cerco por parte da administração norte-americana liderada por Donald Trump.

Recorde-se que Donald Trump re-estabeleceu algumas das sanções económicas, que no passado haviam sido levantadas por Barack Obama; no passado mês de Junho, foram definitivamente suspensas as viagens de grupos escolares, a paragem de cruzeiros e a visita de iates privados provenientes dos Estados Unidos da América a Cuba.

Os representantes políticos cubanos, encabeçados por Díaz-Canel, mencionaram estas novas medidas do Governo norte-americano que visam tentar impedir que chegue combustível ao pequeno país do Caribe, referindo que o “cerco se está a apertar” com a intenção de “destruir a Revolução Bolivariana”. Em causa, estão não só as sanções impostas a Cuba mas também à Venezuela, o seu principal fornecedor de combustível.

Face a este cenário, os cidadãos foram alertados para a necessidade de racionar energia e de tomar medidas de emergência para que a distribuição de bens e a prestação de serviços não seja comprometida nos próximos dias. O presidente garantiu que até domingo não deverão haver blackouts energéticos mas depois desse dia o cenário é incerto.

Terá sido durante este anúncio, acompanhado em directo e através das redes sociais por muitos cubanos, que as contas começaram a ser suspensas na rede social Twitter, com as denúncias a surgirem em redes sociais paralelas como o Facebook ou o Whatsapp. Na lista de visados pela suspensão do Twitter encontram-se contas de vários tipos.

Entre os órgãos de comunicação social bloqueados encontra-se o Cubadebate com 300 mil seguidores, o @Granma_Digital com cerca de 167 mil, entre outras como o @MesaRedondaCuba, @RadioRebelde, @DominioCuba, @CubaPeriodistas, @CanalCaribe. Para além destas instituições foram também suspensas contas de jornalistas e directores de publicações como Leticia Martínez (@leticiadecuba ) e Angélica Paredes (@aparedesrebelde), da equipa de imprensa do presidente cubano; a da vice-presidente da União de Jornalistas em Cuba, Rosa Miriam Elizalde (@elizalderosa), e a do jornalista do Granma, Enrique Moreno Gimeranez (@GimeranezEm), entre outras.

Problemas para acceder a muchas cuentas de cubanos en Twitter. Parece una operación concertada de denuncias falsas por…

Publicado por Rosa Miriam Elizalde em Quarta-feira, 11 de setembro de 2019

Também contas institucionais pertencentes ao Governo de Cuba foram visadas pela razia — até agora sem explicação oficial por parte do Twitter. Neste particular foram suspensas a conta do Ministério das Comunicações (@MINCOMCuba) e de funcionários do Governo, como Yaira Roig (@yairajr), Directora de Comunicação e Imagem do Ministério das Relações Externas, e Mariela Castro Espín (@CastroEspinM), Directora do Centro Nacional de Educação Social.

Segundo o mesmo comunicado feito pelos jornalistas cubanos, esta não é a primeira vez que naquele país sentem dificuldade em utilizar a rede social do pássaro azul, a grande novidade está na escala dos bloqueios nunca antes vista. Como nota, os jornalistas cubanos citam ainda o documento oficial produzido pelo Governo dos Estados Unidos onde são descritas uma série de ideias e que já em edições anteriores tinham merecido o repudio dos órgãos de soberania locais. Nesse relatório pode perceber-se, entre outras coisas, a preocupação norte-americana na predominância chinesa no fornecimento de tecnologia de ponta e de conexão à internet, uma área onde a guerra económica tem estado especialmente acesa.

Cuba Internet Task Force Final Report

As reações online — onde tudo se passou — dividem-se. Por um lado há quem faça a comparação alegando que bloquear os media cubanos seria como bloquear CNN, FOX ou NPR, por outro há quem diga que o Governo cubano só está a provar do seu próprio veneno —  referindo as restrições no acesso à internet impostas pelo estado que só este ano alargou o acesso à internet a privados e negócios. Certo é que se o Twitter sempre foi conhecido por ser uma das redes sociais mais permissivas e demonstrou alguma preocupação com a transparência nas suas decisões — evitando ao máximo suspender as contas de Alex Jones e do Infowars, por exemplo — este caso é no mínimo estranho e merece o nosso acompanhamento.

Actualização 13/09/19 10:07:

Fonte oficial do Twitter conctactada pela imprensa internacional alega que as contas visadas não cumprir as políticas de utilização da plataforma sem especificar quais. Segundo a BBC, fonte oficial do governo cubano já terá pedido explicações directamente a Jack Dorsey, que recentemente visitou o país.